Portal australiano analisa: “Selena Gomez é a maior estrela pop no planeta. A pergunta é: Por quê?”

Postagem por: Yuri Miranda
21.02.2019
Categorias: Notícias

O portal de notícias australiano Junkee publicou uma matéria avaliando os motivos do grandioso sucesso de Selena Gomez nas plataformas digitais e nas mídias sociais, analisando como o seu “mistério” a tornou um destaque no mundo pop, diferente da grande maioria das celebridades. Confira a tradução da matéria na íntegra:

À medida em que nos aprofundamos cada vez mais no abismo inexplorado que são os Instagram Stories, conteúdo de #publicidade e grupos de fãs no Twitter, a linha entre “celebridade” e o “resto de nós” fica mais desfocada a cada dia.

As celebridades têm se tornado mais acessíveis do que nunca – dando humanidade a pessoas aparentemente sobre-humanas – e temos um certo conhecimento, ainda que equivocado, de detalhes íntimos de suas vidas a partir de suas próprias bocas. É nessa acessibilidade, no entanto, perdemos o que historicamente torna uma celebridade “uma celebridade”: o mistério.

Um ar de sigilo, privacidade e desconhecimento (a que todos têm direito) é o que costumava nos manter encantados. É o que nos manteve lendo tablóides e é o que manteve os rumores fluindo durante os jantares. Mas, agora, as mídias sociais eliminaram a maior parte do mistério. Além de Frank Ocean e Beyoncé, há uma artista pop cuja existência inteira na esfera é mais misteriosa do que a de qualquer outra: Selena Gomez.

Selena Gomez tem sido famosa – em algum aspecto – há mais tempo do que muitos de seus fãs têm de vida. Ela começou sua carreira no entretenimento em 2002, com um papel recorrente em Barney & Seus Amigos, quando ela tinha 10 anos de idade, ao lado de sua colega, a também popstar, Demi Lovato.

A partir daí, papéis recorrentes em vários programas do Disney Channel a levaram um papel principal em Os Feiticeiros de Waverly Place, um programa que recebeu três prêmios Emmy para o seu nome e também o título de “final de série do Disney Channel mais assistido na história”.

A partir daí Gomez foi amarrada à montanha-russa de celebridades A-List e ainda está para sair dela. Com vários programas de atuação, dois álbuns solo e relacionamentos muito famosos, Gomez está nesta vida há muito tempo. Mas uma pergunta que muita gente tem em mente é… como?

“O hype sobre Selena Gomez tem que ser uma conspiração do governo. Porque eu não encontrei uma pessoa na vida real que é fã e muito menos já ouviu suas músicas.” – Usuária do Twitter

O Toque de Midas

Apenas para este artigo, vamos compará-la a suas três maiores concorrentes na música: Demi Lovato, Ariana Grande e Miley Cyrus. Todas as três foram indicadas ao Grammy, todas as três se mantiveram musicalmente relevantes com um álbum lançado nos últimos dois anos e, talvez o mais importante, todas as três têm vozes poderosas.

Selena Gomez não tem nada disso. Ela ganhou um VMA cinco anos atrás, seu último álbum foi lançado quatro anos atrás e se você perguntasse no Twitter se Selena tem uma voz forte e poderosa, você poderia se considerar cancelado.

No entanto, de alguma forma, Gomez permanece no topo. É claro que a infinitamente produtiva Ariana Grande a ultrapassou recentemente, mas, na maior parte, tudo que Gomez toca se transforma em ouro. Se olharmos para o Spotify, no final do ano passado Selena Gomez superou Drake – sim, Drake – em ter a maior quantidade de ouvintes mensais no serviço de streaming.

Para o contexto, Drake é o artista mais reproduzido da plataforma e passou 30 semanas coletivamente em #1 na Billboard Hot 100 no ano passado. Gomez o alcançou apesar de seu último álbum, “Revival”, sair em 2015 – e desde então ela só lançou três singles como única artista principal.

Esse estranho sucesso se estende além da música também. Por mais de dois anos, Gomez manteve firme o título de pessoa mais seguida no Instagram. Apesar de o sempre provocativo, Cristiano Ronaldo, ter destronado ela, Gomez ainda é a maior artista seguida, com um acumulo de 145 milhões de seguidores no momento da escrita.

Isso é maior do que Ariana, maior do que Taylor, maior do que Beyoncé, maior do que qualquer outra pessoa no jogo. Na verdade, ela já segurou o recorde de foto com mais curtidas na plataforma e foi um anúncio da Coca-Cola.

View this post on Instagram

when your lyrics are on the bottle 😛 #ad

A post shared by Selena Gomez (@selenagomez) on

Então… O que acontece?

Isso tudo ainda levanta algumas questões: Como? Como ela fez isso? Como ela permaneceu no topo de todas essas áreas, algumas das quais ela nem usa? E, talvez mais importante, por quê?

Ela não tem estado ativa tempo suficiente para nós como artista solo para ver se ela teve ou terá alguma influência de longa data sobre a indústria. Além disso, se quisermos falar estritamente de negócios, ela também não está alcançando números recordes. Seu primeiro álbum solo saiu em 2013 e vendeu 97.000 unidades em sua primeira semana nos EUA. Nada mal, mas não tão bom quanto o seu “Revival” que vendeu 117.000 em sua primeira semana.

Além disso, ambas as turnês dela tiveram grandes cancelamentos – compreensivelmente devido a sua batalha contra o Lúpus. Os últimos shows que ela fez em turnê foram na Austrália em agosto de 2016 – quase três anos atrás.

Sua inatividade nas redes sociais também é desconcertante. Ela mantém quase nenhum compromisso com seus fãs online, que é o diretamente o oposto da maioria, se não todos os outros artistas, que construíram e expandiram seus fã-clubes. Apesar de postar apenas seis fotos no Instagram nos últimos cinco meses – sendo duas delas anúncios, ela permanece em segundo lugar na plataforma.

Em uma entrevista recente com a ELLE, Gomez até admitiu que detesta o Instagram e estar na internet em geral, e nem sequer tem a senha da própria conta. A última vez que ela tuítou algo que não era sobre seus projetos foi em junho de 2018, e a última vez que ela respondeu a um fã no Twitter foi em agosto de 2017. Isso é quase dois anos sem se envolver publicamente com um fã, mas seus seguidores e números de streams só aumentaram.

Ela ainda permaneceu afastada dos olhos públicos. Sua última aparição em um evento foi em setembro de 2018 no New York Fashion Week, e isso foi apenas porque ela tinha uma linha com a Coach. Esta não é a primeira vez que ela mergulhou para longe do alcance, também. Ela desapareceu por meses em 2016, apenas para fazer uma aparição surpresa no American Music Awards de 2016, onde ela (de alguma forma) ganhou Favorite Female Artist – Pop / Rock.

O escândalo e a causa do “cancelamento” também não lhe escaparam. Sua recusa em se desculpar ou mesmo entender as críticas de que ela trabalhou em um filme com Woody Allen no meio do auge do movimento #MeToo foi decepcionante na melhor das hipóteses. Além disso, sua resposta a ser questionada sobre sua posição em #BlackLivesMatter foi completamente defensiva e não abordou absolutamente nada.

Pelo menos as músicas são um sucesso

Tendo dito tudo isso, há uma coisa que Selena Gomez comanda: suas músicas.

Os álbuns das músicas de Gomez são facilmente os mais consistentemente aclamados da corte de estrelas pop. Sua obra-prima com sample do Talking Heads, “Bad Liar”, de 2017, foi publicada em listas de fim de ano de pelo menos 16 grandes publicações, incluindo o primeiro lugar na Billboard. Seu álbum “Revival” de 2015 também foi classificado em várias listas de fim de ano, com os críticos observando como foi um renascimento para a estrela pop.

Ela também está desmantelando o mito de que sua estrela pop precisa de uma voz em nível de diva, e está provando que trabalhar com o que você tem pode ser tão eficaz quanto a Britney Spears na virada do milênio. Apesar de não ter talento vocal nocauteador, Gomez pode encontrar seu caminho confortavelmente em um R&B abafado e discreto e ainda soar pertinente em uma pista EDM, enquanto também traz fogo suficiente em uma explosão latina, como ‘Taki Taki’ – ou mesmo alguma mistura Frankenstein dos três.

Esse amplo acesso e versatilidade permitem um público diversificado, o que leva a números de streaming mais altos. Vai entender.

Sua longa e franca luta com a saúde mental é um dos únicos elementos de sua vida que Gomez torna público. Depois de passar os últimos meses na reabilitação, Gomez não está inovando sobre a mensagem de “buscar ajuda se precisar”, mas ela não está dando a isso um brilho hollywoodiano que a maioria de nós deseja.

Além disso, sua luta com o lúpus – uma doença que exigiu um transplante de rim, para o qual sua melhor amiga se ofereceu tão graciosamente – ajudou a quebrar a imagem da princesa do pop invencível e deu à humanidade alguém que os fãs poderiam ver como sobre-humana.

Fora do alcance e em nossas mentes

Mas além de tudo isso, e talvez o mais importante, Gomez parece entender intrinsecamente o que significa ser uma celebridade no sentido mais tradicional. Enquanto Ariana Grande, Troye Sivan e outros compartilham todos os momentos e pensamentos on-line, Gomez permanece reclusa e inacessível – como todas as celebridades antes que as redes sociais dominassem o mundo.

Enquanto tentamos digerir mais informações sobre outras celebridades do que sabemos como lidar, ela se mantém distante – talvez para seu próprio bem – e mantém os fãs no escuro sobre os detalhes íntimos de sua vida que a Internet se sente no direito de saber, porque é o que nos acostumamos a fazer.

Ela viveu a vida pública de alto perfil social, invasivamente, e agora ela recuou – emergindo apenas quando precisa. E, pela pura natureza humana, isso nos deixa querendo mais. Qualquer vislumbre que pudermos obter, vamos aproveitar. Se isso vem em forma de música, que assim seja. Ela não se identifica e não se sente acessível; ela se retrata como um enigma no reino das celebridades, e ser tão enigmática alimenta seu sucesso. Volte ao início e repita.

Ela pode não ser sua favorita, ou favorita de qualquer pessoa, mas ela não precisa ser. Como a Internet espera mais e mais de celebridades – que se apressam a atender todos os nossos desejos – Gomez recua.

Claramente, não podemos resistir à perseguição.

Tradução e Adaptação: Selena Gomez Brasil

Nome: Selena Gomez Brasil (SGBR)
Desde: 21 de Setembro de 2008
Webmiss: Érika Barros
Co-webmaster: Samuel Rodrigues
Design & programação: Dieux Design & Luana Machado
Entre em contato com nosso site