“Lose You To Love Me foi uma jogada bem feita”, afirma colaborador da Billboard

Postagem por: Samuel Rodrigues
01.11.2019
Categorias: Notícias

A renomada revista Billboard publicou, recentemente, uma matéria na qual seus redatores discutem o sucesso e lançamentos de Selena Gomez nos últimos anos, inclusive aclamando “Lose You To Love Me”. Confira a seguir:

Em alguns meses, completará 5 anos desde que Selena Gomez lançou “Revival”, seu álbum mais recente. Mas ela, dificilmente, se ausentou do pop durante esse período, lançando contantes singles e colaborações, apresentando novas faces e tonalidades de seu som consistentemente. E seu último sucesso pode estar no caminho de atingir o seu auge desde a era “Revival”.

“Lose You to Love Me”, uma das duas novas músicas lançadas por Gomez na semana passada, estreia no 15º lugar no Hot 100. Seria uma aterrissagem impressionante para a estrela pop em praticamente qualquer contexto – é a segunda melhor estreia nas paradas de sucesso em sua carreira – mas é especialmente importante considerando que a música foi lançada na quarta-feira passada, o que significa que ela teve menos de dois dias completos de streams e downloads (e menos de cinco dias completos de rádio) para trabalhar em sua pontuação de estreia.Ao que se deve o excelente desempenho da música? E ela já tem outro hit pronto para ir logo depois? Os funcionários da Billboard debatem essas questões e mais abaixo.

1. Então, em uma semana de estreia que inclui menos de dois dias completos de vendas, “Lose You to Love Me” já ultrapassou todos os singles de Selena Gomez como artista principal desde que “It Ain’t Me” alcançou o número 17 em maio de 2017. Você está surpreso com a música que teve uma estreia tão retumbante?

*Tatiana Cirisano: Eu esperava que “Lose” estreasse 10 posições abaixo ou mais, mas não estou muito surpresa. Mesmo enquanto lançava grandes colaborações como “It Ain’t Me” e “I Can’t Get Enough”, Selena manteve eu sua vida pessoal reservada em um grande nível nos últimos 2 anos, e acredito que os ouvintes estão famintos para escutar isso dela, no mínimo curiosos para saber como ela vai. Como alguém que já possuiu o título de “pessoa mais seguida do Instagram”, Selena retornou de um recesso das redes sociais planejado apenas agora – o que torna os teasers e vídeos para “Lose” como tesouros.
Há também o elefante de tamanho Bieber no meio da sala. É difícil não ler “Lose” como um adeus para o famoso ex de Gomez, e aqueles que não são interessados em suas músicas, provavelmente, deram uma escutada por curiosidade na música pelo fator fofoca. Claro, não dei muito crédito a qualidade da canção em si, mas falamos sobre isso depois.

Eric Frankenberg: Meio que surpreso, mas não totalmente. Eu fiquei mais surpreso ao assistir seu momento descolada após os singles do “Revival”. Ela teve boas parcerias e escolhas artísticas surpreendentes desde então, mas a energia de “Good For You” e “Same Old Love” me levam a acreditar que ela está preparada para uma dominação imparável do Top 40 das Rádios e da Hot 100 ao estilo Rihanna. Talvez com um novo álbum a caminho, os novos singles irão reviver (trocadilho não intencional mas estou orgulhoso dele apesar disso) um pouco dessa energia.

Josh Glicksman: Um nível de surpresa de uma rápida levantada de sobrancelha. É o primeiro lançamento de álbum de Selena desde 2015, e ela tem uma base de fãs, majoritariamente, mais jovem em uma era que depende do streaming para o sucesso nas paradas. A fórmula não é uma trava para o sucesso para qualquer artista antiga, mas para uma das magnitudes de Selena – especialmente depois que ela deu teasers ao novo single para aumentar a expectativa – certamente não estou surpreso com a estreia notável, mesmo após uma semana de estreia incompleta. O feito é, no entanto, impressionante, e mostra a profundidade dos seguidores de Selena.

Jason Lipshutz: Não estou surpreso realmente, com base na combinação da alta qualidade de “Lose You to Love Me”, o poder de estrela de Gomez e a expectativa geral de um novo lead single – não um single solto ou parceria entre gêneros, mas o início real de uma nova era da Selena, a primeira em quatro anos. Espalhe um pouco de “É sobre quem é essa música?”, o espanto com a letra, e você teve uma música lançada no meio da semana passada que até os fãs de pop casuais precisavam experimentar e, posteriormente, reproduzir novamente uma vez que é altamente produzido o poder que tomou conta deles.

Andrew Unterberger: Depois de mais de dois anos de estreias comerciais suaves para novos singles da Selena – sem contar com colaboração de produtores como Kygo e DJ Snake – admito que estou um pouco surpreso com o começo rápido aqui. Eu me perguntava se Gomez se tornaria mais à prova de balas como celebridade do que como estrela pop. Mas quando você tem um histórico como o de Selena, você sempre precisa apenas de um single perfeito para voltar ao topo, e parece que ela encontrou o single certo novamente.

2. Qual é o tempero secreto de “Lose You to Love Me” que realmente detonou em um impacto como esse, da maneira que alguns de seus outros singles recentes talvez não tenham? A estreia de “Lose” diz mais sobre Gomez, a música ou sobre o Hot 100 em 2019?

Tatiana Cirisano: Diz mais sobre Gomez. Só acho que a mesma música não teria feito tanto sucesso, ou despertado tanto interesse, se fosse proveniente de uma pessoa que não fosse ela. Com sua escassa melodia de piano e cordas, “Lose” tem que se vender quase inteiramente com base em suas letras – e é bem-sucedida porque as palavras são tão específicas da história dela. Para aqueles de nós que crescemos com Gomez, tudo parece um papo coração-a-coração satisfatório. (Destaque aqui também para o talentoso grupo de co-escritores de Selena.) Mas também diz algo sobre o Hot 100 em 2019 que uma estrela pop pode voltar com uma balada reduzida ao piano e ainda chegar ao Top 15. Estive pensando muito sobre como a abordagem de Gomez para lidar com problemas de saúde, um rompimento e outra turbulência em sua vida pessoal (ao se internar, travar suas batalhas em particular e retornar anos depois com uma entrada bruta de um diário explicador) é exatamente o oposto da abordagem chocante de Ariana Grande em seu tumultuoso 2018, sobre o qual ela cantou em tempo real, ao som de hits radiofônicos e surpreendentemente honestos, como “thank u, next”. Ambas as abordagens funcionaram, mas apenas porque eram adequadas para o artista em particular. Talvez em 2019, a verdadeira chave para quebrar o Hot 100 seja a autenticidade.

Eric Frankenberg: A música é uma grande fusão do que funciona para Selena. Ela aponta para uma turbulência pessoal amplamente divulgada e lembra o reflexo suave do hit Top 10 anterior, “The Heart Wants What Wants”, talvez tendo influência de recentes avanços pop de Ariana Grande e Kesha. Tudo isso dito, o retorno de Gomez parece oportuno, chegando no final de um ano quando sua marca de música pop se juntou oficialmente ao hip hop na festa dos streamings após a relutante luta de 2017-18.

Josh Glicksman: Bem, isso diz algo sobre todos os três, mas talvez em maioria sobre a Hot 100 em 2019. Após uma longa extensão do domínio do hip-hop no Hot 100, o pêndulo voltou ao pop neste ano. Ariana Grande, Halsey, Lady Gaga, os Jonas Brothers e, mais recentemente, Lewis Capaldi, alcançaram o primeiro lugar em 2019. Mesmo as faixas que podem não estar associadas ao pop – “Old Town Road”, por exemplo – certamente são classificáveis ​​como este sob alguma definição do gênero em constante evolução.

Jason Lipshutz: Quando você lidera um projeto pop de alto nível com uma balada – ou qualquer tipo de single que se desvia radicalmente do tempo de padrão do Top40 das rádios – é melhor trazer algo que claramente atravessa a desordem e permite um ritmo mais contemplativo. Felizmente, “Lose You to Love Me” está correto: a entrega vocal cuidadosa de Gomez nos versos permite a destruição de sua vulnerabilidade no pré-refrão, e o gancho principal funciona como um momento imediato para cantar junto. “Lose You to Love Me” me lembra um pouco de “Hello” de Adele, o retorno de alto nível de outra superstar pop que foi um sucesso instantâneo impressionante.

Andrew Unterberger: Definitivamente, é um pouco dos três, mas também vou dizer que o tempo provavelmente ajuda mais com a colocação da Hot 100 aqui. Fico imaginando como “Bad Liar” e “Wolves” poderiam ter se desempenhado se viessem alguns anos depois.

3. “Lose You To Love Me” não foi a única canção que recebemos de Selena na semana passada. Qual vocês preferem entre “Lose You” e “Look at Her Now”, e qual vocês acham que vai se provar como o maior sucesso?

Tatiana Cirisano: “Lose You” é a resposta das duas perguntas. Não me leve a mal, “Look at Her Now” é muito cativante, mas sua batida electropop e os cortes vocais são muito específicos das tendências musicais de 2019, acredito que a música não envelhecerá bem. (Ademais, o gancho de “mm-mm-mm” na música é um pouco similar ao de “I Can’t Get Enough”). Em contraste, “Lose You” tem forma de um clássico, e eu vejo frescor em seu foco: Não é apenas sobre saber quando se livrar de um relacionamento tóxico, mas ter a coragem para sair realmente. Gosto do jeito que ela confessa a culpa de ambos os lados (“You promised the world and I fell for it”) e como ela chama a relação de “dança” – isso não é alguém que está amargurada e raivosa, mas alguém que aguentou muito em um relacionamento nocivo e bonito, encontrou forças para superar e se tornou uma pessoa mais forte. Tipo, uau.

Eric Frankenberg: Definitivamente “Lose You To Love Me”. Seguindo o lançamento duplo de Camila Cabelo no mês passado, é interessante ver outra grande artista seguir com lançamentos simultâneos de singles. Mas enquanto “Look at Her Now” é mais dançante e amigável ao som das rádios num sentido óbvio, “Lose You” é, simplesmente, a melhor música – mais memorável, mais sugestiva e mais efetiva. O refrão “to-love-love” é construído no final facilmente (um amontoado de remixes com batidas pesadas é inevitável) e há trechos que são ótimas legendas para usar no Instagram aproximando a música da perspectiva da atualidade.

Josh Glicksman: Tem que ser “Lose You To Love Me”, certo? “Look at Her Now” é um single animado e divertido para a sequência, mas há muitos “mm-mm-mm” que podemos cantarolar antes de tocar a harmônica e vulnerável “Lose You” novamente. De suas notas de abertura no piano a suas notas de encerramento remanescentes, Gomez te faz a acompanhar durante todos os momentos da música. A música te implora para gritar “to love, love!” com toda a força de seus pulmões, seja num apartamento vazio na tarde de uma terça, seja na traseira de um Uber num sábado a noite. Só pedir para o motorista aumentar o volume quando você tocar pela terceira vez seguida.

Jason Lipshutz: “Look at Her Now” tem vocais escorregadios no refrão e algumas percussões detalhadas excelentemente, mas “Lose You To Love Me” é o destaque e um dos singles mais fortes na carreira de Gomez. É, atualmente, o maior sucesso e irá permanecer assim.

Andrew Unterberger: “Lose You To Love Me” é, facilmente, o mais, emocionalmente, ressonante entre os dois e, provavelmente, terminar como um grande sucesso nas paradas, mas eu me encontro um pouco mais atraído a batida flexível de “Look at Her Now”. Ela me lembra uma dúzia de músicas – mas nenhuma que eu consiga, realmente, posicionar na minha cabeça – o que é de fato um sinal de uma bela e explosiva música pop.

4. A equipe da Billboard selecionou “Bad Liar” de Gomez como a melhor música de 2017. Como você se sente sobre essa decisão dois anos depois?

Tatiana Cirisano: Eu acho que Jason colocou bem em sua síntese da colocação quando disse que “Bad Liar” honra as peculiaridades do Talking Heads com “o pop pode ser bizarro e irresistível aí mesmo tempo”. Você pode dizer o que quiser de “Bad Liar”, mas não pode negar que é fascinante – é um hit sútil e sedutor de uma ex-estrela da Disney que usa o sample de “Psycho Kiler” do Talking Heads. É estranho e amável, e isso funciona. Engraçado: De volta a 2017, eu, honestamente, estava decidida sobre declarar “Bad Liar” a nº 1 do ano acima de momentos culturais como “Bodak Yellow” e “Despacito”, mas dois anos depois, a música se mantém. Talvez nós estávamos certos depois de tudo.

Eric Frankenberg: Quando “Green Light” e “HUMBLE.” vêm, imediatamente, na minha cabeça, posso assegurar que discordo da escolha. Mas, provavelmente, é o melhor single de Selena e o sample de “Psycho Killer” é a jogada musical mais robusta de sua carreira. Apesar da música não ter sido um grande sucesso nas paradas, eu espero que ela traga um pouco desse espírito de liberdade e capricho em seu próximo álbum. A sinceridade e vulnerabilidade de “Lose You To Love Me” podem ser balanceadas com o piscar e as brisas de seus destaques de 2017.

Josh Glicksman: “Bad Liar” é uma daquelas músicas que provoca no ouvinte um subconsciente bater de pé e balançar de ombros. É um tipo de música pegajosa, energética e o perfeito “pegue sua escova e use-a em uma apresentação de três minutos e meio em frente ao espelho”. De qualquer forma, não é a melhor de 2017. Kendrick Lamar lançou “DAMN.” em 2017. Lorde lançou “Green Light” em 2017 e eu sou um pouco positivo quando digo que esta música te transforma em um quase super-herói durante os 4 minutos que você a escuta. “Bad Liar” é uma das melhores, certamente, mas só não é a melhor.

Jason Lipshutz: Como um dos principais defensores do Nº 1 de “Bad Liar” na lista, eu me sinto ótimo! A música é pra cima e inspirou muitos karaokês em carros e dancinhas esquisitas com a mão desde que assumiu o trono em nossa lista de 2017. Apesar disso, um dilema: tendo passado muito tempo desde seu lançamento e o próximo álbum de Selena, é possível que “Bad Liar” nunca tenha um álbum para chamar de casa?

Andrew Unterberger: Não sei se foi a escolha correta, mas ainda é uma escolha que me orgulha: “Bad Liar” é , absolutamente, um tipo singular de single do Top 40, uma fórmula que não se repetirá, e seu baixo desempenho comercial, meramente, garante que ela sempre será um tipo de realeza entre as músicas compartilhadas pelos verdadeiros fãs de pop. Por essa razão (entre outras), a afeição por ela tende, somente, a crescer com os anos.

5. Assumindo que o álbum não saia nos próximos dois meses, Selena Gomez estará 5 anos sem um álbum recente quando seu próximo LP for lançado. Você acredita que a demora resultará em algo positivo ou negativo para seu novo álbum e a recepção de seu lançamento?[SGBR corrige: Revival completou 4 anos há alguns dias, no dia 9 de outubro]

Tatiana Cirisano: Positivo. Se “Lose” for um indício, o prazo foi transformador para Gomez, e espero que esse crescimento se apresente no álbum, como se apresentou em seu carro-chefe. Além disso, o cenário do pop estava bem diferente anos atrás. Os ouvintes atuais estão mais receptivos a jogadas arriscadas – todas as apostas estão no que uma estrela pop “deve” ser, e Gomez deve e, provavelmente, vai se aproveitar disso.

Eu também acho que é interessante, no período após seu último álbum, ela ter aplicado sua criatividade em projetos não-musicais bem sucedidos, desde seu papel na produção-executiva de 13 Reasons Why até o lançamento de sua linha com a PUMA. Se ausentar da música para por a mão na massa com uma empreitada de criação diferente pode trazer novas perspectivas a sua música, eu estarei interessada qual vai ser o papel que a influência desses diversos elementos realizará.

Eric Frankenberg: Absolutamente, é algo positivo. Apesar dela ter diversos sucessos na Hot 100 a cada ano após o Revival, seu silêncio geral apenas irá forçar o interesse em seu novo projeto, provado pelo barulho imediato causado na Hot 100 por seu primeiro single.

Josh Glicksman: Eu não sei se sua recepção está relacionada diretamente com o tempo que se passou desde seu último LP, mas eu sei que em qualquer momento que seja lançado, ele alcançará o topo das paradas, desde que não coincida com álbum muito aguardados de diferentes artistas (como Rihanna, Adele, Lady Gaga). É o lançamento mais desejado pelo público em sua carreira, o que é uma coisa positiva que pode se equivaler ao tempo que seus fãs têm esperado. Agora, é apenas um jogo de espera para ver o quanto seu som evoluiu durante os anos de construção.

Jason Lipshutz: Gomez esteve muito ativa desde o lançamento do “Revival” em 2015 – como musicista, mas também com atriz, produtora, palestrante e militante – que seu longo retiro não parece tão em branco como alguém deveria esperar. Mesmo que não tenha sido planejado, a habilidade de Gomez em emplacar sucessos consistentes enquanto trabalhava em outros projetos, e então oferecer “Lose You To Love Me” como introdução à sua próxima era, foi uma jogada bem feita.

Andrew Unterberger: Antes destes dois lançamentos, minha provável resposta seria “negativo” – parecia que ela não estava seguindo na direção certa, nem em uma direção específica num todo. Mas agora eu me recordo de outra estrela pop que, depois um longo período de vários lançamentos de álbuns e um perfil quase-insustentável de abundância, também teve um período incomum de alguns anos entre álbuns, enquanto disponibilizava vários singles (sozinha ou com outros artistas) que presenciaram retornos comerciais variados desvairadamente – e então após sua longa abstenção, retornou com seu mais coerente, aclamado e popular (debatível) álbum até a data. Em outras palavras: é possível que o “ANTI” de Selena esteja iminente?

Nome: Selena Gomez Brasil (SGBR)
Desde: 21 de Setembro de 2008
Webmiss: Érika Barros
Co-webmaster: Samuel Rodrigues
Design & programação: Dieux Design & Luana Machado
Entre em contato com nosso site