Postagem por:
Julia Brum
09 jun.2020

Com os acontecimentos recentes relacionados ao “Black Lives Matter” e a luta racial nos Estados Unidos, Selena Gomez abriu sua maior plataforma para influenciadores pretos educar e informar seus seguidores, em busca de uma futura geração justa e sem preconceitos.

No dia de hoje, 08/6, Selena cedeu seu Instagram para a professora Sarah Elizabeth Lewis, historiadora especializada em história da arte e história africana na mundialmente conhecida universidade, Harvard. Confira a postagem de apresentação de Lewis:

“Conheçam a professora Sarah Elizabeth Lewis (@sarahelizabethlewis1 e sarahelizalewis no Twitter). Ela ensina história da arte e estudos africanos e norte americanos na Universidade de Harvard, com foca na relação entre imagens, raça e justiça. Ela é a força por trás do projeto  #VisionandJustice, a edição histórica da revista @Aperturefnd, o currículo de estudos de Harvard e da conferência @visionandjustice. Seu primeiro livro, “The Rise”, é sobre o papel da arte para superar as falhas e sua palestra no TED Talk recebeu mais de 2.7 milhões de visualizações. Antes de ir para Harvard, ela foi curadora no MoMA e no Tate Modern em Londres, além de ser graduada em Harvard, Oxford e Yale. Em 2019, ela foi o ato principal na inauguração do Freedom Scholar Award por seu trabalho com raça e justiça na América, apresentado pela Associação pelo Estudo da Vida e História Afro-Americana.”

Confira a postagem da professora Lewis e sua tradução:

“O que nos liderou até esta crise racial?

A história nos mostra que a cultura – fotografia, filmes, música, literatura – não apenas a legislação, nos levou até esta crise racial e o nosso foco na brutalidade policial. A cultura é uma ferramenta poderosa. Cria narrativas que podem honrar a vida humana ou denegri-la.

A lei por si só não resultou na morte de George Floyd, Breonna Taylor, Sandra Bland, Travyon Martin ou qualquer outra vida sem nome perdida devido ao terror racial. A legislação combinado à cultura molda nossas narrativas sociais. Pode justificar preconceitos e estereótipos com consequências mortais. ⠀

Mas esta também é a boa notícia. Isso significa que todos temos um papel a desempenhar pela forma como moldamos, produzimos e nos envolvemos com a cultura que nos rodeia. ⠀

Esta é uma aula do Instagram de 1 dia chamada “Como ver em uma crise racial”. Você receberá um novo conjunto de ferramentas nas postagens e stories através de conhecimento e artistas a seguir. Nossos 4 tópicos:

1) Terror racial como cultura (qual é a conexão entre a história do linchamento e a violência racial que estamos testemunhando hoje?) ⠀

2) Viés racial em mídia, fotografia e tecnologia (discutiremos como os estereótipos e contra-narrativas são reforçados pela cultura)

3) O vínculo cultural entre policiamento e escravidão (como as patrulhas de escravos, a vigilância de corpos negros por meio da Lei dos Escravos Fugitivos e o aluguel de condenados ajudaram a desenvolver nossa força policial?) ⠀

4) O poder da praça pública (o que significa ainda ter monumentos confederados em público?) ⠀

Estas são 4 arenas do nosso campo de batalha cultural: Mídia, Imagens, Símbolos Públicos e Espetáculos. O terror racial afetou todos eles. Como escolhemos ver cada dia pode ser uma forma de ativismo diário. Entender isso é a missão do projeto @visionandjustice.

Poste nos comentários e eu responderei com o máximo de perguntas que puder! Saúdo Selena Gomez por transformar sua plataforma para fins de educação e justiça para todos. Obrigado! Agradecimentos especiais a @radcliffe.institute, @fordfoundation, Whiting Foundation, Lambent Foundation, @hutchinscenter, @americanrep, @harvardartmuseums, @aperturefnd, meus colegas, estudantes e todos os outros por seu apoio. Por favor, esteja bem e seguro!”

View this post on Instagram

“What led to this racial crisis?” ⠀ ⠀ History shows us that culture—images, films, music, literature—not law alone, has led to this racial crisis and our focus on police violence. Culture is a powerful tool. It creates narratives that can honor human life or denigrate it.⠀ ⠀ Law alone did not result in the deaths of George Floyd, Breonna Taylor, Sandra Bland, Travyon Martin, or any of the other unnamed lives lost due to racial terror. Law combined with culture shapes our social narratives. It can justify biases and stereotypes with deadly consequences. ⠀ ⠀ But this is also the good news. It means that we all have a role to play by how we shape, make, and engage with the culture around us. ⠀ ⠀ This is a 1 day Instagram class called, “How to See in a Racial Crisis.” You will get a new set of tools in the posts and stories through resources and artists to follow. Our 4 topics:⠀ ⠀ 1) Racial Terror as Culture (What is the connection between the history of lynching and the racial violence we are witnessing today?)⠀ ⠀ 2) Racial Bias in Media, Photography, and Tech (We’ll discuss how stereotypes and counternarratives are reinforced by culture)⠀ ⠀ 3) The Cultural Tie between Policing and Slavery (How did slave patrols, the surveillance of black bodies via the Fugitive Slave Act, and convict leasing help develop our police force?) ⠀ ⠀ 4) The Power of the Public Square (What does it mean to still have Confederate monuments in public?)⠀ ⠀ These are 4 arenas of our cultural battleground: Media, Images, Public Symbols, and Spectacles. Racial terror has impacted them all.⠀ ⠀ How we choose to see each day can be a form of daily activism. Understanding this is the mission of the @visionandjustice project. ⠀ ⠀ Please post in the comments and I’ll engage with as many of your questions as I can! I’m saluting Selena Gomez for turning over her platform for the purpose of education and justice for all. Thank you! Special thanks to @radcliffe.institute, @fordfoundation, Whiting Foundation, Lambent Foundation, @hutchinscenter, @americanrep, @harvardartmuseums, @aperturefnd, my colleagues, students, and many more for their support. Please be well and safe!⠀ ⠀ — @sarahelizabethlewis1

A post shared by Selena Gomez (@selenagomez) on

Confira abaixo as publicações no Instagram Stories feito por Sarah:

TRADUÇÃO: Qual é o papel da cultura para a justiça? Como a cultura nos levou ao terror racial que estamos testemunhando hoje? Como a cultura pode trabalhar para uma mudança? Ouça alguns destaques do primeiro dia da Convenção de Visão e Justiça em Harvard.
TRADUÇÃO: Durante a Guerra Civil Americana, Frederick Douglass argumentou que as fotografias seriam tão importantes quanto o combate. Como as imagens foram usadas para cimentar o racismo e os estereótipos? Baixe o livro de graça, “Vision and Justice: A Civic Curriculum para aprender mais.
TRADUÇÃO: Como o @darrencwalker diz melhor: Arte conduz para a empatia e a empatia conduz a justiça. A incrível artista @carriemaeweems nos deu um exemplo. Ela é uma profeta.
Televisão e filme impactam na nossa visão sobre policiamento. 
A @colorofchange pesquisou como as séries criminais nos prejudica sobre o sistema de justiça criminal. Esta é uma pequena parte do porque a série de Ava DuVernay, "Os Olhos que Condenam" é tão inovadora.
TRADUÇÃO: A @joyfulcode está aqui em uma máscara branca para eliminar o viés racial da tecnologia enquanto ela codifica. Esse viés racial afeta tudo, desde decisões de empréstimo até policiamento. Agora ela está trabalhando com outras pessoas para lutar contra a Liga da Justiça Algorítmica.
TRADUÇÃO: A lei do escravo fugitivo em 1850 tornou transformou a observação em um ato de vigilância racial. Henry Louis Gates Jr. conta mais para nós sobre a diferença entre policiamento e escravidão aqui.
TRADUÇÃO: A televisão e o cinema impactam na nossa visão de política. A @colorofchange pesquisou como as séries criminais nos prejudica sobre o sistema de justiça criminal. Esta é uma pequena parte do porque a série de Ava DuVernay, “Os Olhos que Condenam” é tão inovadora.
Racial terror has long been a tool of the system to reinforce racial hierarchies. Teaching about this topic is the hardest thing for me to do, but you have to see the pictures.
TRADUÇÃO; O viés racial é incorporado na fotografia. Lorna Roth pesquisou como a pele clara se tornou um filtro para o cinema. Somente quando as empresas de chocolate e móveis de madeira reclamaram que o filtro da kodak mudou. Essa história ainda afeta a tecnologia digital hoje.
TRADUÇÃO: O protesto persiste da escravidão até hoje. Nós saudamos você.
TRADUÇÃO: O terror racial tem sido uma ferramenta do sistema para reforçar as hierarquias raciais. Ensinar sobre esse tópico é a coisa mais difícil para mim, mas você precisa ver estas fotografias. Linchamentos eram como espetáculos. As fotos se tornavam cartões de visita. As multidões podiam ser acima de 10 mil pessoas. Pessoas pretas eram linchadas mesmo sem nunca terem sido condenadas por qualquer crime. Ouça a conversa de Kerry James Marshall sobre como esse linchamento nos impactou.
TRADUÇÃO: O extraordinário Bryan Stevenson debateu sobre como a monumentos confederativos criam uma narrativa sobre hierarquia racial na vida americana.
TRADUÇÃO: “As artes vem sendo uma forma de recuperar a minha lealdade a uma comunidade que me considera, uma comunidade que constantemente leva outros em consideração… – @yarashahidi”. Uma jovem rainha.
TRADUÇÃO: O questionamento por direitos na América está sendo uma longa jornada por visão e justiça. Requer pessoas como Kehinde Wiley que trabalham com cultura. A decisão de Selena de abrir a sua plataforma é um ótimo exemplo. Classe, estão dispensados por hoje mas a escola da justiça nunca tem intervalo.

Você pode acompanhar todas as postagens diárias sobre o conteúdo e o discurso de outros ativistas no Instagram oficial de Selena.

O Selena Gomez Brasil estará diariamente traduzindo os conteúdos publicados por cada influenciador e publicando-os em nosso site.

Tradução e Adaptação: Selena Gomez Brasil

Comments

comments

Siga o Twitter do site para receber
novidades sobre Selena em tempo real
Na nossa página do Facebook, você também
não perde novidades sobre Selena. Curta!
Siga-nos no Instagram para fotos, vídeos e
entretenimento sobre Selena e o site
Web status
Criação e desenvolvimento por LIVZZLE e Lannie.D
© 2020 - Selena Gomez Brasil