Postagem por: Yuri Miranda
28.11.2018

Para promover o lançamento de sua nova coleção com a PUMA, chamada “Strong Girl” (Garota Forte), Selena Gomez cedeu uma entrevista exclusiva ao site da ELLE. A coleção estará disponível no dia 12 de dezembro e conta com a participação de Courtney Barry, Raquelle Stevens, Theresa Marie, Connor e Caroline Franklin, melhores amigas de Selena. Confira a tradução completa da matéria:

Selena Gomez quer proteger, encorajar e empoderar sua imagem.

Selena Gomez SG x Coleção Puma

Selena Gomez e eu estamos falando de malhar. Ela gosta de pilates, mas eu não consegui entrar em detalhes sobre que tipo ou onde ela faz aula. Por muito tempo, ela foi a pessoa mais seguida no Instagram, um título que ela nunca procurou e recentemente cedeu a Cristiano Ronaldo, ambos os quais estão se aproximando dos 150 milhões – então faz sentido que ela precise manter algumas coisas em segredo. Ao contrário de Ronaldo, Gomez tem um relacionamento tênue com as mídias sociais e tira um tempo longe da tecnologia frequentemente, como o que ela anunciou no final de setembro.

Conversamos sobre sua rotina de exercícios, que varia para evitar o tédio, e inclui – junto com o pilates – dança, natação, ciclismo e caminhada. “Eu gosto de encontrar maneiras que não são tão rígidas”, diz Gomez. A mesma flexibilidade se aplica ao que Gomez usa para treinar. “Eu me sinto como quando me preparo para um treino, estou me vestindo para o que estou tentando alcançar, como um objetivo”, diz ela. “Então, se eu vou usar uma camisa folgada e ser moleca, eu vou dessa maneira. Se eu for mais delicada, com as meias e outras coisas, então eu vou fazer pilates. ”

Agora, com sua mais recente coleção de roupas esportivas para a PUMA, chamada “Strong Girl”, Gomez começou a fazer peças simples e encorajadoras projetadas para malhar (ou não). “Eu fico realmente inseguro às vezes, eu passo por estranhos altos e baixos, mas em geral eu só quero que as pessoas usem o que elas se sentem confortáveis”, diz Gomez. “Minha assistente, usa roupas de ginástica todos os dias. Mas ela não malha. Acabou se tornando um estilo de vida e ela adora isso. Ela ama como se sente e adora o que ela usa, e quero dizer, é isso que eu quero que todos sintam. Ela também me inspirou muito.

O ELLE.com passou algum tempo em Los Angeles com Gomez pouco antes do photoshoot da campanha SGxPUMA, estrelada por Gomez e seus amigos mais próximos, para uma entrevista exclusiva sobre as mensagens secretas da linha, as pressões das mídias sociais e o que a faz se sentir forte por dentro e por fora.

As roupas tem pequenas mensagens secretas embutidas, algo como “forte por dentro e fora” Eu quero encorajar as mulheres. Eu realmente amo usar minha plataforma para o bem, e ao longo do caminho me diverti com filmes e música. Eu não seria capaz de fazer nada se não fosse pelas pessoas que me apoiam, e isso soa como um clichê, mas é verdade. Então eu acho que para mim, sempre quis ser um bom exemplo. Não porque eu não vou estragar tudo, eu estrago o tempo todo. É mais como eu querer ser honesto com eles. Eu vou dizer: estou tentando o melhor que posso e é o que você pode fazer também – tente o melhor que puder, é difícil. E você não está sozinho.

Acho importante que as meninas conheçam a força em tudo, sua identidade e alma, dentro delas mesmas. E hoje em dia você dá isso tão facilmente, das mídias sociais à escola ou aos relacionamentos. E eu acho que é importante – eu quero lembrar as garotas que elas são perfeitamente fortes do jeito que são.

“Eu gosto de qualidade enquanto trago o melhor em uma garota. Eu fui essa garota, me sinto insegura o tempo todo, me sinto estranha. Eu sinto que posso me conectar através da música, de filmes e agora, isso. Eu quero falar com jovens garotas sobre força, que definitivamente vem da minha família. Todas as minhas amigas estão fazendo parte da sessão de fotos e todas tem diferentes tipos de corpos, é lindo vê-las usando o que as fazem se sentir bem. Eu não sei o que seria sem minhas amigas, elas salvaram minha vida e estiveram lá para mim durante tudo. Eu sou inspirada por muitas mulheres, eu amo mulheres. “Strong Girl” (garota forte) é o que eu tento ser todos os dias, e é difícil, tão difícil. Pra mim o momento que me sinto melhor é quando minha mente está bem e meu corpo também. Não é fraco ser vulnerável ou dividir o que está no seu coração. A verdadeira força está na vulnerabilidade, honestidade e compaixão.

– A coleção tem algumas peças realmente divertidas, como o macacão e algumas peças em camadas. Onde você usaria o macacão?
SG: Eu fiz toda a coleção para que qualquer um pudesse usá-la como quisessem. Contanto que você se sinta bem consigo mesmo, você deve usar o que deseja usar. Eu queria que você se sentisse como se tivesse opções.

– Então, voltando às mensagens escondidas nas roupas, você pode falar um pouco mais sobre esse detalhe? Existem mais pequenos segredos na coleção?
SG: Eu acho que vou sempre fazer algo assim com algo que eu desenho – adicionar meu próprio pequeno elemento a ele. Mas o ponto principal da mensagem é se sua mente se sente forte e seu corpo se sente forte, e você sente que pode lidar com as coisas, essa é a melhor sensação. Eu só quero que as pessoas sintam isso.

– É legal ver isso porque as pessoas sabem que, se houver um momento de body-shaming, você tem algo a dizer que vai inspirar as pessoas.
SG: Definitivamente. Oh, não me faça começar. Eu sou muito protetora.

A coleção SGxPUMA estará disponível no dia 12 de dezembro no PUMA.com e em varejistas selecionados.



Tradução: Equipe Selena Gomez Brasil

Categorias: Destaque; Entrevistas; PUMA
Postagem por: Yuri Miranda
11.09.2018

Selena Gomez está mais ativa no Instagram, para a felicidade nos fãs. Atualizações no perfil e stories agitaram os últimos dias. Além de estar vivendo a melhor e mais confiante fase de sua vida, Selena mostrou estar ansiosa com seus novos projetos e honrando seu famoso discurso no AMAs, focou no que está em seu coração: seus amigos e seu trabalho. As fotos estão em nossa galeria.

As atualizações começaram com bastidores da gravação do clipe de “Taki Taki”, parceria com Cardi B e Ozuna para o álbum do DJ Snake. A música teve o lançamento confirmado para setembro, ainda sem data definida. Segundo DJ Snake, Selena cantará em inglês e espanhol, terá um verso com high note e ainda dançará no clipe, a notícia conseguiu animar os fãs tanto quanto o VULCÃO no set. Rumores indicam que clipe foi dirigido por Colin Tilley, mesmo diretor de “Kream”, parceira de Iggy Azalea com Tyga , “Anaconda” de Nicki Minaj e “Wolves”, parceira de Selena com Marshmello lançada no ano passado.

View this post on Instagram

today was so fun

A post shared by Selena Gomez (@selenagomez) on

Embaixadora da Puma e da Coach, a cantora ainda divulgou novas peças de suas coleções em parceria com as marcas, vestidas por ela e suas amigas, além de postar stories sobre o evento da Coach em Los Angeles, em que Selena realizou um encontro com fãs.

View this post on Instagram

Just another day with @stuartvevers at the @Coach office. Guys- my collection is out now! Link in bio. #CoachxSelena #notperfectalwaysme

A post shared by Selena Gomez (@selenagomez) on

Após a matéria para a sua edição como capa das revistas Elle US e Elle UK ser divulgada, a cantora se pronunciou sobre a fuga dos assuntos que deveriam ser abordados na matéria. Confira a tradução completa da declaração:

“Certo. Falar de meu coração por mais de uma hora para alguém que coloque estes pensamentos em palavras pagas pode ser difícil pra mim. Quanto mais velha fico, mais eu quero que minha voz seja minha. Isso é tudo separado de meu trabalho com uma indústria que tem sido maior que todos nós já fomos. O propósito da minha entrevista foram 3 tópicos. Meu trabalho com A21, minha nova coleção com a Coach e algumas músicas novas. Eu estou ciente que sempre haverá interesses na vida pessoal de alguém porque esse é uma parte de nossa geração “social”. Eu sou grata por minha posição e sempre irei encontrar modos de fazer meu trabalho mais sobre os outros e retribuir – tudo isso enquanto tenho meu melhor tempo com música, moda, filmes e meu amor em aprender sobre o mundo que eu disposta a participar mais e mais. Igreja é um nome para algo muito mais pessoal. Sempre há pautas procurando informação em sujeitos e eu entendo o porquê. Raramente eu menciono a igreja (e eu não mencionei), mas eu sempre me sentirei confortável para falar sobre valores e virtudes. Eu respeito isso de todos.
Eu entendo que repórteres estão trabalhando para atrair a atenção do leitor, de qualquer forma, eu sempre trabalharei para assegurar que o que é público represente minha verdade.
Eu estou um pouco chateada, mas não estou surpresa.
Vocês conhecem a mim e meu coração. Eu não posso ajudar isto. Então irei postar algumas de MINHAS fotos da coleção e do trabalho com a A21. Meu coração. E talvez edite os versos reais como vocês todos irão escutar em breve. 😊
Eu amo vocês até a Lua. Para mais informações sobre o trabalho que faço com a A21, por favor, visite o link na minha bio. Muito mais em breve!”

View this post on Instagram

Alright. Speaking from my heart for over an hour to someone who puts those thoughts into paid words can be hard for me. The older I get the more I want my voice to be mine. This is all apart of my work within an industry that’s been around longer than all of us have been. The purpose of my interview was three fold. My work with A21, my new collection with Coach, and some new music. As I’m aware there will always be interests in one’s personal life because that’s the pace of our ‘social’ generation. I’m grateful for my position and I will always find ways to make my job more about others and giving back— all while having the best time with my music, fashion, film and my love for learning about the world that I’m eager to tap into more and more. Church is a name for something far more personal. There’s always agenda seeking information on such a subject and I understand why. Rarely do I mention church (and I didn’t) , but I’ll always feel comfortable talking about my values and beliefs. I respect that from everyone and anyone. I understand that reporters are working to grab the attention of a reader, however I will always work to ensure that what is public represents my truth. I’m a bit bummed but rarely surprised. Y’all know me and my heart. I can’t help it. So I’ll post some of MY photos from the collection and work with A21. My heart. And maybe edit my actual lyrics as you will all hear it soon 😊 I love you guys to the moon and back. For more information on the work I do with A21 please, please visit link in my bio. So much more on that soon!

A post shared by Selena Gomez (@selenagomez) on

 Selena ainda provou estar no auge de sua beleza, postando uma foto durante sua passagem por Nova Iorque para a New York Fashion Week. Aparentemente, ela estava acompanhada por suas amigas Connor e Caroline Franklin, Petra e Anna Collins, Raquelle Stevens e o modelo Samuel Krost.

View this post on Instagram

A post shared by Selena Gomez (@selenagomez) on

A cantora ainda postou fotos de seu ensaio para a Flare Magazine em 2015, como início da divulgação da era “Revival”, não lançadas oficialmente, que já estavam vazando na internet durante os últimos dias. Seria uma nova era começando? Confira a nossa galeria.




 

Confira também os stories:

Tradução: Selena Gomez Brasil

Postagem por: Julia Brum
09.09.2018

Em sua passagem pela primeira vez na Alemanha para conhecer os escritórios da Puma, Selena Gomez concedeu uma entrevista ao Footwear News sobre a sua nova coleção feita exclusivamente para a empresa, sobre os ataques que recebeu de Stefano Gabbana em junho deste ano, sobre empoderamento feminino e o trabalho de caridade em parceria com a Puma. Confira a entrevista completa traduzida:

Selena Gomez não estranha mais ver seu nome em todos os lugares. Mas a primeira vez que a estrela pop viu seu nome nos sapatos da puma que ela projetou – com a Footwear News presente para captar este momento – a cantora ficou impressionada e atordoada na sede da Puma na Alemanha em abril. “Isso é tão estranho,” disse Gomez à equipe da Puma enquanto analisava o SG marcado em seus sapatos exclusivos. “Não é que eu não tenha gostado. É que eles são tão incríveis, eu os amei.”

Selena compareceu a sede da Puma em Herzogenaurach, onde ela se reuniu diante de quase 1.000 funcionários de todo o mundo para a conferência anual da empresa, mostrando seus novos produtos. Logo após a finalização da conferência, a Footwear News conversou com a cantora pelo telefone, onde a mesma falou sobre como ela está liderando a Puma em uma nova direção, ao mesmo tempo em que capita o brand awareness da marca no Estados Unidos.

Como uma personalidade influente nas redes sociais, uma artista requisitada e fashionista, Gomez é, na verdade, a voz do consumidor milenar americano. Agora, enquanto a Puma celebra seu 70º aniversário, a cantora de Revival está dando um renascimento próprio ao lifestyle brand da empresa em suas lojas, sendo a porta voz de sua geração. Mas o que é diferente com Gomez, é que a marca não está construindo uma narrativa focada no fascínio da celebridade de 26 anos ou de seu conhecimento de tendências. Pelo contrário, é a mensagem de auto-capacitação que está promovendo uma comunidade de meninas fortes.

“Eu sinto que poderia haver oportunidades infinitas para isso”, disse Gomez sobre a marca SG que aparece em sua coleção de estreia que sai em dezembro. Embora as letras compartilhem suas iniciais, a interpretação tem maior profundidade. “O ponto principal é tirar o foco de mim; é sobre o que eu acredito e o que escolho fazer com a plataforma que eu recebo. É muito maior que eu e é muito maior que a Puma – é sobre como você se sente.”

A Puma convidou a cantora-atriz para ser embaixadora em setembro e a estratégia da empresa com a artista vem de parecerias de sucesso como a de Rihanna e The Weeknd. A grande lista de jovens talentos que também são inseridos como embaixadores da empresa, incluem Big Sean e Cara Delevingne. “Eu gosto de pensar que há espaço na mesa para todos. Eu acho que o mais importante é o relacionamento que a Puma cria com seus embaixadores.”, explicou Gomez, acrescentando que a Puma cria histórias únicas que se baseiam na individualidade de cada embaixador. “Toda a minha coleção se baseia em como eu teria feito, como eu faria roupas esportivas e como eu me sentira usando-as. Eu sei que algumas garotas são muito específicas sobre o uso de certas coisas.” Gomez disse que sua inspiração vem de um “quadro gigante do Pinterest” em sua cabeça, sob a orientação da equipe de design da Puma.

Ultimamente, ela confia no seu instinto para seu processo criativo. ”Eu tomo nota de músicas que me inspiram, filmes que me inspiram, artistas que me inspiram”, disse Gomez. “Adoro aprender com todos os tipos de pessoas. Então, para mim, criatividade vem do clima ou momento em que estou vivendo.” Esse tipo de pensamento criativo se comunica bem com o novo consumidor feminino, de acordo com Loretta Brady, autora de Bad Ass & Bold e professora de psicologia que estuda cultura organizacional e engajamento de mídia. “Atualmente, as mulheres estão sendo vistas e apresentadas como ativas, equilibradas, engajadas e encorajadoras uma da outra.  A Puma está enfatizando a realidade e o ideal que expressa as mulheres de hoje. Ser ativo é apenas parte de se manter pronto para liderar ou servir ”, explicou Brady. “Essa mensagem de empoderamento é atraente para as mulheres, e especialmente atraente no contexto de um clima cultural e político que às vezes é muito enfraquecedor, especialmente para as jovens.”

Após o primeiro tênis de Gomez com a Puma, um tênis com uma pequena plataforma chamado de Phenom Lux que saiu em 6 de abril deste ano, a marca deve lançar o Defy x SG (que sai em 18 de setembro), seguido das novas coleções Defy MidxSG e SG Runner em dezembro. É de se esperar desta parceria tênis esportivos luxuosos com toques femininos, em tons de ouro rosê, feitos para o dia-a-dia. “Este é parecido com o que eu já criei, mas é melhor – mais sofisticado”, acrescentou ela. “É forte – é a primeira palavra que penso quando o tênis vem na minha mente. O ponto principal da minha linha é que qualquer mulher se sinta forte e bonita vestindo roupas esportivas”.

E quem melhor do que Gomez para entregar a mensagem de aceitação e superação? Ela virou uma porta-voz do assunto ao falar abertamente sobre a luta contra a depressão, a ansiedade e o lúpus, uma doença auto-imune na qual foi diagnosticada em 2015. Sendo uma artista reconhecida mundialmente, o mundo da moda e as críticas externas que surgem são intimidadoras – e certamente podem diminuir a confiança com o próprio corpo. Gomez está ciente de que muitos dos seus fãs e seguidores se sente da mesma maneira. “Eu sinto que sou uma dessas pessoas. Eu realmente sou uma dessas pessoas. Eu entendo o que eles estão sentindo e do que eles têm medo”, disse a cantora. “É tudo sobre como você se sente no final do dia. É assim que eu abordo a mim mesma – vendo que eu não sou diferente de qualquer outra pessoa.”

É claro que viver nos holofotes agrava esses problemas. Em junho, o diretor de criação da Dolce & Gabbana, Stefano Gabbana, ridicularizou sua aparência ao comentar na conta do instagram da Catwalk Italia. Com uma série de fotos de Gomez em diferentes tapetes vermelhos, Gabbana respondeu: “è proprio brutta”, que em italiano significa: “Ela é tão feia.” E quando os haters atacam, Selena permanece forte, incentivando que fãs também permaneçam fortes. “Tudo bem se eu não for aceita as vezes.  Está tudo bem que eu sou legal com as pessoas ao invés de intensa. Eu realmente não me importo com o que falam”, disse Gomez em relação ao que os haters dizem. “Eu tenho que repassar minha mensagem para mim mesmo como eu repassaria aos meus fãs. Eu diria que “eu entendo, sou como você”.

E é esse o espírito que a Puma promove nas campanhas que tem o rosto de Selena Gomez. Basta o observar a proposta da campanha Defy (desafiar em inglês) – um nome apropriado para a verdade que a artista quer transmitir. “Eu me lembro diariamente sobre a importância de desafiar todos os obstáculos do lado de fora” disse ela sobre os sapatos quando os lançou em maio. “Desafiar é ser corajoso.”

A relação entre a empresa e Gomez foi “baseada em um forte conjunto de valores compartilhados”, disse Adam Petrick, diretor global de brand e marketing da Puma. “Ela é corajosa e confiante nas escolhas que fez em sua carreira, é carinhosa, atenciosa e respeitosa com seus milhões de fãs.” Quando Gomez repassa suas mensagens no instagram, elas são compartilhadas por seus quase 140 milhões de seguidores – o recorde da plataforma, sendo Selena a pessoa mais seguida desta rede social. Já a Puma tem 8,2 milhões de seguidores, sendo assim, Gomez projeta uma influência gigantesca no instagram, tendo um impacto maior do que a Puma jamais conseguiria exercer por conta própria.  Em comparação com a Puma, as postagens no instagram de Gomez têm três vezes mais alcance de acordo com a Launchmetrics, empresa de software e informações com foco em moda, cosméticos e luxo. “Em dólares, isso significa que algumas das postagens da Selena equivalem a quase US $ 3,5 milhões em média, enquanto a de melhor desempenho da Puma atingiu apenas US $ 195K”, explicou Alison Bringé, diretora de marketing da empresa. O post no instagram de maior desempenho da Puma com Gomez, foi o anuncio de que a cantora estaria se “juntando a família” ao se tornar embaixadora da marca, no ano passado em 18 de setembro. Este post recebeu 398.365 mil likes, o que não é nada comparado ao maior desempenho de Selena pra marca, uma foto dela divulgando a coleção Defy Mid que rendeu mais de 7 milhões de curtidas.

Em maio, Puma e Gomez assumiram a Paramount Studios, em Los Angeles, com a criação da Defy City que demonstrou o quão imersiva e autêntica Selena é em suas campanhas. Lá, os convidados tiveram a oportunidade de comprar meias personalizadas que beneficiaram a Alliance for Lupus Research, uma organização dedicada à pesquisa médica sobre a doença autoimune que aflige Gomez e que a inspirou a se tornar uma defensora da comunidade. No ano passado, a melhor amiga de Gomez, a atriz Francia Raisa, doou um rim para a embaixadora. “Acredito que tudo que eu participo pode ter algo voltado para a caridade”, explicou Gomez. “Quando me encontrei com a Puma, eles viram quem eu era como pessoa e sabiam o que queriam destacar. Eu não trabalharia com alguém que não trabalhasse com a instituição de caridade da qual eu escolhi batalhar. Eu me esforço em trabalhos para encontrar uma cura financiando pessoas que não têm recursos para descobrir que tipo de lupus eles têm – pode ser assustador se você não souber. ” A Puma aplaude a capacidade da Gomez de se concentrar nos negócios e fazer isso com o coração. “Ela também é uma jovem forte que defende o que acredita e trabalha para encontrar soluções melhores quando vê que as coisas não estão certas em nossa cultura e no mundo”, disse Petrick. “Em muitos aspectos, sentimos que aprendemos muito com ela no decorrer de nosso tempo trabalhando juntos”. Partes do produto do sapato Phenom Lux de Gomez arrecadaram US $ 100.000 para a organização.

A Alliance for Lupus Research nomeou a Puma como Parceira Visionária Corporativa em maio, em seu 9º Lupus Handbag Lupuson & Silent Auction. A homenagem reconheceu a “colaboração inovadora da empresa com Selena Gomez que traz recursos muito necessários para acelerar a busca por novos tratamentos e uma cura”, disse o Presidente e CEO Kenneth Farber. A coleção que é assinada por Gomez, em dezembro, deve render mais recursos para a luta contra o lúpus, uma causa que é muito importante para ela. “Eu não estou realmente preocupada com o que vai acontecer no futuro”, disse Gomez. “Mas estou fazendo uso do meu tempo agora para tornar o futuro mais significativo, mais proposital”.

Tradução e adaptação: Selena Gomez Brasil | Fonte

Categorias: Entrevistas; Notícias; PUMA
Postagem por: Lívia Bastos
04.09.2018

Divulgado na manhã de hoje, 04, Selena Gomez é capa de outubro da revista ELLE dos Estados Unidos. Na entrevista, Selena falou sobre seus projetos atuais – como seu trabalho voluntário com a A21, nova linha da Coach e músicas novas – o filme dirigido pelo diretor Woody Allen, Demi Lovato e um pouco sobre sua vida. Confira toda a matéria feita por Mickey Rapkin traduzida na íntegra:

Selena Gomez não desapareceu. Não exatamente. Mas nos últimos meses, a pessoa mais seguida no Instagram (140 milhões e continue contando) se retirou do complexo do tablóide industrial. Em janeiro, Gomez se mudou secretamente para Orange County, onde ela e uma amiga da igreja Hillsong, Raquelle, estão brincando de casinha. “Tem sido um alívio. L.A. ficou muito claustrofóbico pra mim. Eu não posso fazer nenhuma das coisas que eu faço aqui em L.A. É apenas impossível,” ela diz.

Depois de vender sua mansão em Calabasas — por $3.3 milhões para French Montana — ela também colocou seu bangalô em Studio City à venda por $2,8 milhões. (Sua mansão no Texas, uma das casas mais caras perto de Forth Worth, está à venda por 3 milhões de dólares.) Estamos sentados em uma cafeteria e Gomez, vestindo um macacão jeans, com o cabelo preso por um lenço de linho, abre um pote de plástico com salada de macarrão. “Eu acho que tudo na minha vida está sendo bem reduzido, de uma maneira muito boa”, ela diz. “Estou voltando à simplicidade. Isso é o que eu sempre fui. Não sou eu falando “Eu sinto o melhor que eu já senti”, ela continua. “Sou eu dizendo: ‘Eu estou exatamente onde estou. E eu estou tão feliz por estar nesse lugar.’ É muita autodescoberta. De 20 à 26? Ai, meu Deus. Eu me sinto uma pessoa totalmente diferente”.

Como assim? “Por um tempo, acho que fiz certas coisas porque achei que tinha que fazer. Tipo, uma das minhas amigas olhou pra mim um dia — estávamos no almoço e eu acho que comprei alguma coisa, e ela meio que me olhou e disse: ‘Você se sente adequada o suficiente?'”

 

“VOCÊ PODE COMPRAR UMA COISA BOA PARA SE SENTIR BEM. MAS É ESSE O MEU VALOR?”

 

Isso é bastante cruel. “Não, não é a verdade!”, ela diz. “Eu não sou uma pessoa materialista. [Meus amigos] não me julgariam de qualquer forma. Eu gosto de receber massagens, adoro fazer coisas legais… só, isso está conectado ao meu valor? Você pode comprar algo bom para se sentir bem. Mas esse é o meu valor?”

Essas são perguntas precipitadas. E isso indica onde Gomez está hoje em dia. Essa é a questão, ela mudou mais do que o endereço. Ela é uma cantora, atriz, produtora e designer de moda (sua segunda colaboração com a Coach estreou em agosto) e agora ela adicionou um novo papel ao seu currículo versátil: estagiária.

O quê?

Hoje cedo, em um parque empresarial, nos encontramos na A21, a ONG global de combato ao tráfico humano, na qual Gomez tem se voluntariado. O escritório do sul da Califórnia (existem 14 lugares em todo o mundo) está desmarcado e o site não consta o endereço. É uma precaução de segurança, diz a coordenadora global voluntária da organização, Laura Staph. Mas Staph me convidou para entrar no espaço aberto, onde dúzias de funcionários se sentam em frente a computadores — um exército de estilos diferentes. Um letreiro está pendurado ao lado da porta, em letras douradas, que diz: “Emponderar Mulheres”.

De sua relutância em falar abertamente sobre seu trabalho aqui antes, Gomez diz: “Eu não começaria imediatamente a discutir isso. Está fora da minha zona dde conforto. Eu precisava estar totalmente imersa nisso.” Ela sabe o que você está pensando. “Que grande coisa outra celebridade está fazendo…” ela diz com um sorriso. “Não é porque eu quero falar sobre isso. Eu não posso ficar em silêncio sobre isso.”

Gomez começou a se voluntariar aqui em março a convite da co-fundadora Christine Caine, também membro da igreja Hillsong, que convidou Gomez para visitar o palpite de que a estrela pop poderia se inspirar na missão. A21 recentemente se uniu ao Departamento dos Transportes dos EUA para lançar “Can You See Me?”, uma campanha multiplataforma para aumentar a conscientização sobre a escravidão. O que Gomez aprendeu em sua primeira visita à A21 a chocou. “A ideia de tráfico de pessoas pra mim é… estou embasbacada.” Gomez recita estatísticas e histórias de horror — de mulheres sendo forçadas à escravidão sexual até que seus órgãos falhem, de lugares na Tailândia onde crianças pequenas são vendidas em uma espécie de cardápios de restaurante.

O convite veio após um 2017 desafiador. Selena, que tem Lúpus, uma doença autoimune, recebeu um transplante renal naquele verão. Em outubro, foi anunciado seu rompimento com Abel Tesfaye, também conhecido como The Weeknd. Ela passou o Ano Novo e o dia dos Namorados com seu ex, Justin Bieber, levando a especulação de que eles tivessem reatado (Bieber, é claro está noivo da modelo Hailey Baldwin). Selena diz que, no início do ano, se sentou com “incríveis mulheres muito próximas de mim. Foi um momento difícil, e eu tinha todas lá me encorajando, e foi um daqueles momentos que uma garota jovem fala com suas tias e sua mãe e se pergunta “o que está acontecendo com a minha vida”. Ela tem finalizado seu álbum em uma velocidade astronômica, o que poderia ser lançado nesse outono. “Eu tenho trabalhado por muito tempo e não gosto de falar sobre coisas da minha vida. Eu apenas quero fazer”

Logo depois daquele momento, Selena se viu em uma orientação de 3 dias na A21.

Eu pergunto se a equipe chegou a duvidar do comprometimento dela. “Talvez!”, e sua assistente riu.

Selena começou a trabalhar cinco dias na semana (exceto os dias marcados em estúdio e reuniões com a Puma, marca que ela tem parceria a longo prazo, na Alemanha). Ela tem um endereço de e-mail e chave do escritório, como qualquer outro voluntário. Nos decidimos ir a essa cafeteria não por acidente, mas porque “essa é a que todos os voluntários e a equipe de lá vai”, ela diz, rindo: “É o nosso Central Perk”.

Enquanto seu segurança nos leva ao “Central Perk”, eu me pego pensando na primeira vez que eu e Selena nos encontramos – há três anos, para sua última capa para a ELLE, quando esse segundo encontro seria muito hipotético. Era 2015 e ela tinha acabado de romper com sua mãe, que era sua empresária, ela deixou sua gravadora e assinou com a Interscope. Estava trabalhando intensamente no seu álbum Revival, que ela esperava afastasse suas ligações com a Disney. Durante uma caminhada em Calabasas, ela me disse como convenceu sua gravadora a mandá-la junto com seus compositores para o México – atrás de inspiração. Eu a lembro dessa história hoje – três anos, que parecem uma vida toda – e ela ri, emanando uma leveza que não havia antes.

 

“ALGUÉM ME VÊ TOMANDO UMA TAÇA DE VINHO? EU NÃO ME IMPORTO. NÃO ESTOU TENTANDO ESCONDER.”

 

“Meu Deus”, ela disse. “Uau, não é estranho? Eu estava em um lugar tão curioso. Digo, é assim que seus vinte e poucos anos são. Você está pensando ‘Eu quero sair e explorar, aí vou me inspirar. Vou sentar na chuva!’ E aí você percebe – pelo menos eu percebi – que não é sobre sair de algum lugar. Eu ainda estou levando meus problemas comigo.”

Selena está vestindo um cardigã de lã de camelo grande, da Free People, e ela podia ser confundida com qualquer outro jovem profissional (bem, um com um guarda-costas a postos). “Kate [Young], minha estilista – que também trabalha com a Margot Robbie – ri de mim. Ela diz ‘quando você está comigo, você veste designers, quando está com seja amigos você usa Free People.’ Eu amo conforto.” Selena dá os créditos a Young por melhorar seu conceito de moda ao vesti-la em um smoking da Saint Laurent em 2014 e em um terninho da Valentino. Em 2016, Selena apareceu em uma campanha para a Louis Vuitton.

 

“EU TENHO MUITA CERTEZA DE ONDE ESTOU. EU NÃO ME SINTO ERRÁTICA OU EMOCIONALMENTE INSTÁVEL. OU QUE EU NÃO CONSIGO LIDAR COM MEUA SENTIMENTOS, COMO ERA ANTES.”

Ela olha a sua volta na cafeteria – um marco para sua nova vida. “É tranquilo. É estranho. No momento que eu fiz 26 anos, eu me senti com 26 anos.” Eu rio porque é exatamente o tipo de coisa que uma mulher de 26 anos diria, mas sei o que ela quis dizer. “Agora eu tenho muita certeza de onde estou. Não me sinto errática ou instável emocionalmente. Ou como se não conseguisse lidar com meus sentimentos, o que não acontecia antes. É como se eu conseguisse me entender um pouco melhor. Eu ainda não tenho tudo compreendido, mas me sinto bem.”

Esse é o melhor momento para perguntar sobre o trabalho em “A Rainy Day in New York” com o Woody Allen. É difícil de associar a ideia de Selena trabalhar em uma instituição que lida com tráfico de mulheres mas ainda sim escolhe trabalhar em um filme de Woody Allen, que foi acusado de molestar sua filha de sete anos, Dylan Farrow, em 1992. (Allen nunca foi formalmente acusado, mas diversos atores mostraram arrependimento de ter trabalhado com ele). Para um exemplo pra jovens mulheres, parece uma escolha estranha. A mãe de Selena e sua produtora, Mandy Teefey, sentiu a mesma coisa, postando mais cedo esse ano no Instagram. “Desculpe, mas ninguém pode mandar Selena fazer algo que ela não quer. Eu tive uma grande conversa com ela sobre isso e não funcionou.”

Ano passado, um repórter da Billboard perguntou para Selena se ela considerou o passado de Woody Allen antes de assinar o contrato para A Rainy Day in New York, e sua resposta não foi boa. “Pra ser sincera, eu não sei como responder – não porque eu estou tentando me afastar disso. As alegações na verdade aconteceram depois de termos começado a fazer o filme. Elas surgiram no meio das gravações. E isso foi algo que eu tive que enfrentar e discutir. Eu dei um passo pra trás e pensei: ‘Nossa, o universo funciona de forma interessante.’”

Quando eu pergunto se há algo que ela gostaria de dizer agora, ela recusa. “Eu acho que é melhor não.”

Esse comentário — ou não comentário, na verdade — é como uma coisa que acende fogo na máquina de indignação online. Ela costumava monitorar todo aquele feedback em tempo real, e o barulho era incessante. Ela queria gritar: “Eu posso fazer o que eu quiser! Não coloque palavras na minha boca!” Mas ela não parece se importar mais. “Eu não estou na internet”, ela diz claramente. “Eu não estou na internet há meses. Eu não tenho minha senha do Instagram. Não tenho apps no meu celular, nem aplicativos de edição de fotos. Eu tenho o Peak, um jogo que estimula o cérebro.” (Gomez ainda atualiza o Instagram pelo celular de sua amiga, que tem acesso à conta dela.)

“A razão é, isso não é real para mim”, acrescenta ela. “Eu sei que minha voz é muito proeminente, mas não sou descuidada com isso. Sou seletiva. Quanto à minha vida pessoal, alguém me vê tomando um copo de vinho? Eu não ligo pra isso. Eu não estou tentando esconder. Essa é minha vida. Eu estou vivendo do jeito que eu quero viver isso. Mas é sobre fazer um esforço consciente — se eu puder ter um momento para estar com os meus amigos, vou aproveitar esse tempo. Então não tenho nada disso. Eu tive que tomar essa decisão.”

Os paparazzi ainda a perseguem sempre que ela está em Los Angeles. Depois da notícia de que Demi Lovato, sua amiga de infância, havia sofrido uma aparente overdose, uma foto de Gomez, parecendo chateada, apareceu online. São seis dias depois, e Lovato ainda está no hospital, supostamente devido a complicações da overdose. E isso é devastador. Gomez começa a falar sobre isso, depois fica engasgada. “Tudo o que eu estou dizendo é que eu me aproximei pessoalmente. Eu não fiz uma coisa pública. Eu não queria. Eu… eu a amo. Eu a conheço desde os sete anos. Então… é isso que eu vou dizer.

Nosso tempo está acabando, e Gomez deve ir ao estúdio de gravação em breve, onde ela está dando os últimos retoques em seu álbum. Ela está lançando singles lentamente, incluindo “Back To You”, da segunda temporada de 13 Reasons Why da Netflix, no qual ela também atua como produtora executiva. Nenhuma viagem inspiradora ao México foi necessária, ela disse, apenas paciência.

Inicialmente planejamos ir ao estúdio de gravação juntos, mas a equipe de gerenciamento rejeitou a ideia, achando que era muito cedo para compartilhar. Mas Gomez não pode se ajudar. Ela disse que a música é diferente de tudo o que ela fez antes — reconhecendo imediatamente que é algo que os artistas sempre dizem, mas raramente cumprem. Ela chama a nova música de “funky“. “Eles provavelmente vão me matar”, diz ela, antes de dizer ao seu segurança para aumentar o volume dar play em uma faixa nova.

Uma batida contagiante entra em cena. Há a voz de Selena, soando confiante; a faixa parece mais com Prince do que com a garota que murmurou: “Venha e pegue”.

“Veja!” ela diz. Ela quer provar que a música é uma saída, e definitivamente é, mas há mais nisso, eu acho. Ela não queria falar sobre sua vida amorosa hoje — ou nunca, na verdade. E ela certamente não comentará diretamente sobre o envolvimento no turbulento noivado de Bieber e Baldwin (eles também fazem parte da Hillsong). Como sua famosa amiga, Taylor Swift, que salva seu vitríolo para suas letras, parece que Gomez também quer deixar a música dizer exatamente onde está seu coração.

Eu tenho que anotar a letra rapidamente. Ela canta sobre tirar um homem de sua vida depois de “1.460 dias” e “limpar meu quadro”. “Sem você,” ela canta, “eu não penso demais nisso.” O gancho é algo assim: “Eu estou bêbada e eu posso muito bem te falar, tirei você da minha cabeça agora.”

Ela não consegue deixar de cantar junto, parecendo mais feliz e mais relaxada do que o dia todo, e certamente mais do que quando nos conhecemos anteriormente. A música termina e ela aperta o play em uma segunda faixa, que também aborda sua independência, desta vez de um homem que não a respeita. “As minhas ambições eram muito altas?” Ela canta, declarando: “Amor, você é tão distante. Por que você não reconhece que eu sou muito rara?”

MESMO QUANDO VOCÊ É IMPERFEITO, MESMO QUANDO ESTÁ SE SENTINDO INÚTIL, VOCÊ É INCRÍVEL.

Ela me conta sobre uma música do álbum chamada “Flawless” (sim, o mesmo título da faixa de Beyoncé). “Significa que através de todas as suas imperfeições, você é perfeita. Você não está se esforçando. Sou eu incentivando uma versão mais jovem de mim mesma. Mesmo quando você é imperfeito, mesmo quando se sente inútil, você é perfeito. É uma música que eu vou cantar para o resto da minha vida.”

Tradução e Adaptação: Selena Gomez Brasil | fonte

Postagem por: Lívia Bastos
15.02.2018

bbc

Em dezembro do ano passado, Selena Gomez concedeu entrevista ao BBC Radio 1 para falar sobre o single “Wolves“, o status de sua carreira na época, entre outros assuntos. Hoje (15), foi divulgado um novo trecho da entrevista com Nick Grimshaw onde a cantora relembrava a letra das músicas “The Idea Song“, da série infantil Barney & Seus Amigos, “I Want You To Know” e “One And The Same“. Confira o vídeo e a tradução abaixo:

Nick Grimshaw: Eu quero fazer um pequeno teste com você, Selena. Eu acho que você vai se sair bem, porque é sobre você.
Selena Gomez: Ok, talvez não.
N: Quem vai saber as respostas é você, ou pelo menos seus fãs saberão.
S: Sim.
N: Você não é a maior pessoa no Instagram por acaso, tem uma razão. Você tem cinco álbuns, 22 singles. Você esteve ocupada, você trabalhou por isso, certo? Mas eu quero saber como você consegue guardar todas essas letras na sua cabeça. Porque são muitas músicas.
S: Eu sei, mas eu canto desde os sete anos e eu sinto como se elas fossem minha história, então elas meio que estão fincadas na minha cabeça.

 

N: Nós vamos testar pra ver isso, porque nós fizemos isso com a Demi.
Demi Lovato: Ai meu Deus, eu quero xingar.

N: P!nk participou desse jogo.
P!nk: Oh no “alguma coisa, alguma coisa, alguma coisa”.

 

N: Ela não sabia a letra de Lady Marmalade.
S: Meu Deus!
N: Mas ela sabia todas as pinturas do Leo [Leonardo da Vinci]
S: Sabe de uma coisa? Eu tenho um respeito muito grande por isso. Isso é genial.
N: Os níveis da P!nk eram, “Uau, ela é um gênio!”. Ok, vamos te testar com o seguinte. Vamos começar pegando leve com você. Tudo o que precisa fazer é completar a letra.
S: Ok.
N: Estes são você e o Zedd.
[Toca a música “I Want You To Know”]
N: Ah meu Deus, P!nk está de volta!
S: Ahm, Honey… É alguma coisa com Honey. Caramba… Eu vou passar.
N: Oh, era “Tell me you’re covered tonight”.
S: Eu peço desculpas.
[Toca a música novamente]
S: É, essa é a letra. Sim.
N: Vamos lá.
S: Antes eu disse pra mim mesma.
N: “Eu sei as letras”.
S: É.
N: É porque veio pela metade.
S: Não, mas é inteligente, você não pegou as partes óbvias.
N: É não peguei as partes óbvias. A próxima. Essa:
[Toca a música “One & The Same”]
S: Você tá brincando!
N: Não!
S: Por favor, diga que você tocou essa pra Demi! Porque eu tenho certeza que ela concorda comigo nessa: nós não sabemos essa música! Essa foi uma música que eu e a Demi gravamos quando estávamos fazendo um filme e eu tinha 15 anos, então, isso foi há 10 anos, Nick! Eu sei que somos uma só… Ah, meu Deus, desculpa!
N: Vamos descobrir. Aliás, você errou! Mas com certeza é o que parecia!
S: É, não me lembro de cantar nada disso… “But it’s a simple fact, I still got your back”
N & S: One and the same…
S: É, isso é lindo! Eu amo essa entrega.
N: Você não precisa fazer um novo álbum, é só lançar isso de novo.
S: Ela poderia ser uma ótima música atualmente! É engraçado quando você faz uma música e ela continua boa.
N: Ok, se você me odiou pela última, vai me odiar por essa também.
S: Certo.
N: Essa é de 2002. É um dueto entre você e Barney, o Dinossauro.
S: Ai Deus…
[Toca a música “The Idea Song”]
S: “And a new idea might come to me. I’d like to think of something new, something fun to do. Maybe solve a problem or fix a thing or two. If I sit a little while I’m sure I’ll see. A new idea will come to me.”
N: ISSO!!!
S: Uau! O que isso diz sobre mim?
N: Você se lembra disso!
S: O que? Obrigada por esse vídeo! Enquanto eu assisto, ele diz muita coisa sobre mim!
N: Se a Demi e o Barney estiverem assistindo isso agora, o clima vai ficar tenso… Você olha pra esses dias com diversão?
S: Sim! Foi maravilhoso ter a oportunidade de ter sete anos de idade e viver essa experiência. Foi bárbaro. Definitivamente na escola eu era muito zoada, mas foi bárbaro, sabe, eu sinto que foi uma grande parte da minha vida.
N: Você ainda mantém contato com o Barney?
S: Não. Mas eu tentei, alguns anos atrás fazer uma reunião, mas eles disseram que eu não podia participar do show porque não faço parte da união certa, então, aparentemente não funcionou.
N: A Demi disse que ele era um tipão.
S: Ele era! Eu lembro de ela dizer isso quando tinha 8 anos, porque ele era. Tem que estar em ótima forma pra fazer isso, porque são quinze quilos de fantasia. Então ele tirava a fantasia e era todo musculoso e suado, e eu ficava “ohhh ok, nós somos crianças”. Mas era ótimo.
N: Eu acho que preciso pesquisar fotos dele no Google.
S: Existem vários Barneys diferentes, mas o que nós pegamos era lindo. É.
N: Bom, parabéns por isso. Selena, obrigada por participar, foi muito divertido.
S: Foi muito bom. Eu sinto muito por ter desapontado a Demi e todos os meus fãs naquela.

Postagem por: Rebeca Gois
07.02.2018

hbz-march-2018-selena-gomez-lead-1517519223

Em dezembro de 2017, quando ainda estava loira, Selena Gomez foi fotografada e entrevistada por Katherine Langford (13 Reasons Why) para a capa de março da revista Harper’s Bazaar. A entrevista completa e algumas imagens do shoot foram divulgadas. Confira:

Aos 25 anos, Selena Gomez enfrentou seus obstáculos compartilhados e emergiu mais forte do que antes. Ela conta à Katherine Langford—estrela da série Os 13 Porquês produzida por Gomez na Netflix—o que ela tem aprendido ao longo da caminhada.

KATHERINE LANGFORD: Qual é a melhor parte de ser uma artista em 2018?
SELENA GOMEZ: Eu sinto que se tornou um lugar muito mais seguro para expressar suas preocupações ou até apenas de ter o direito de falar, você sabe, “Eu não tenho certeza de que me sinto confortável nesse ambiente”. Em um nível pessoal, tendo feito isso desde que eu tinha sete anos, é provavelmente o momento em que me sinto mais confortável. Até em audições eu sinto que estou bem mais confiante do que eu estaria no passado. Eu não estou focada nas coisas que eu costumava focar, como “Eu pareço adulta o suficiente? Eu pareço sexy o suficiente? Eu pareço legal o suficiente? Eu sou legal o suficiente, elegante o suficiente?” Esse tipo de coisa vinha na minha mente, mas agora eu me sinto um pouco mais livre.
KL: Você ficou famosa no início da sua adolescência. Tem alguma coisa que você sente que perdeu?
SG: Eu passei provavelmente muito tempo pensando sobre como a minha vida poderia ser, então agora eu tento apenas ter um senso de gratidão por como ela é. Eu nunca quis ser o tipo de pessoa que é como “Ah, eu gostaria de ter uma vida diferente”. Isso é mais ou menos o modo como isso funcionou para mim. Eu estou em um ponto onde eu sei o valor da minha privacidade e eu entendo como o sistema funciona, e assim que eu percebi e aceitei essa parte eu me tornei um pouco mais destemida. Eu vejo isso como um pequeno preço por ser capaz de ter a vida que eu tenho agora.
KL: Essa é a Harper’s Bazaar, então nós precisamos falar de moda. Você é uma menina de sapatos ou bolsas?
SG: Oh, os dois, e eu sempre fui. Até mesmo quando eu era mais nova e usava mochilas, eu ficava tão animada para ter a da Betsey Johnson. Era muito mais animador para mim do que roupas. E eu absolutamente amo sapatos legais. Eu sempre senti que o que eu vestia não importava a menos que eu tivesse um par de sapatos legais para combinar.

KL: Qual foi sua primeira compra chique?

SG: Uma bolsa para laptop da Louis Vuitton assim que eu recebi o primeiro cheque da minha vida em meu nome. Eu lembro de sentir medo de estragar e de fingir que eu era uma empresária que precisava carregar um monte de coisas importantes, mesmo que fossem só meu batom e meu laptop.

KL: Você cresceu muito em termos de moda. Como você descreveria sua vida pessoal?

SG: Definitivamente casual, mesmo quando não estou trabalhando parece que estou trabalhando [risos].

KL: Você é a desbancável rainha do Insta, é claro. Como você define limites entre vida pública e privada?

SG: Eu tenho uma relação complicada com o Instagram, pra dizer o mínimo. Isso tem me dado voz em meio à tanto barulho de pessoas tentando narrar minha vida particular por mim e dizer: ”Ei, eu vou postar isso e vai dar conta de 1.200 stories de pessoas que se dizem interessadas mas não são e nem verdadeiras são.” Então isso me empodera na questão que são minhas palavras, minha voz e minha verdade. A única coisa que me preocupa é o valor que as pessoas da nossa idade colocam em uma rede social. É uma plataforma incrível, mas de algum jeito está colocando várias pessoas jovens, me incluindo, numa falsa representação do importante. Então sim, uma relação complexa, provavelmente uma das mais difíceis que já tive.

KL:  O que é uma típica noite de sábado pra você?

SG: Isso depende, se eu estiver no humor irmã, eu estarei com a minha irmã, Gracie. Ela é mais madura que eu em vários aspectos e ela tem quatro anos [risos]. Se eu quero sair com meus amigos, eu realmente não vou em locais tendências, então as pessoas sabem que não devem me convidar pra esses lugares porque não vou querer ir. Gosto de ir à bons restaurantes. Também sou adepta à Chili. Amo ir ao Chili e pedir chips e queijo. Também amo dançar. De verdade. Amo parecer uma boba com meus amigos.

KL: Quão importante é sua raiz mexicana?

SG: Extrema, eu me vejo no espelho todo dia e penso ”Cara, queria saber mais espanhol”. Nunca vou esquecer quando eu estava na série dos Feiticeiros, acho que eu tinha 15 ou 16. Nós fazíamos aquelas filmagens todas as sextas e uma sexta em específico tinha uma mãe solteira com quatro filhos. Ela era latina, e antes ela tinha vindo até mim chorando. Os filhos dela estavam muito ansiosos mas minha atenção foi para a mãe, então a abracei e perguntei ”Você está bem?” e ela estava tipo ”É muito incrível pras minhas filhas verem que uma mulher latina pode estar em sua posição e de tornar seus sonhos realidade. Alguém fora do padrão, loira dos olhos azuis.” E eu sabia do que ela estava falando, quando eu era mais nova minha diva era Hilary Duff! Me lembro de querer olhos azuis também. Então eu percebi que simbolizava algo às pessoas. E isso era o que importava. Até recentemente vivenciei coisas com meu pai com uma carga racial pesada. A maior parte do tempo tentei separar minha carreira da minha cultura porque não queria as pessoas me julgando baseado no meu visual se eles não fazem a mínima ideia de quem sou. E agora mais do que nunca, estou orgulhosa disso… Mas ainda preciso aprender espanhol. [risos]

KL: Millennials são muito criticados por serem mimados e sem direção. Você acha que somos incompreendidos?

SG: Eu acho que os Millennials são muito mais espertos do que o que dizem. Somos mais informados do que aparentamos e mais expostos a tudo o que está no mundo, somente por sermos criados na internet, o que é um pensamento um pouco assustador.

KL: O que você acha que diferencia a nossa geração das outras que vieram antes?

SG: Basicamente, eu acho que é a liberdade de nos expressarmos e de sermos quem somos. Graças a internet, não importa quem você é, você não está sozinho. Talvez um garoto, ou garota, crescendo em uma região sente medo e confusão por ser quem é porque não acha que aquilo é certo. Agora eles podem ver que ao redor deles, pessoas vivem livres de dores, de agendas escondidas, de segredos. Eu acho que segredos matam pessoas, de verdade. Você acaba tentando encobrir tanto de quem você é pelo bem da família ou qualquer outra pessoa, e você pensa que é muito mal por ser diferente. Então é muito poderoso ver nossa geração quebrar esses limites e encorajar outras pessoas a fazerem o mesmo. Existe um senso de liberdade que as gerações passadas não tiveram a oportunidade de vivenciar.

KL: Qual mulher é seu maior espelho?

SG: Meryl Streep sempre foi um dos meus ídolos por causa de sua elegância e habilidade de ser ela mesma e ainda assim dar vida a tantos personagens incrivelmente complexos e difíceis. Eu amo a forma como ela se sustenta. Eu me sinto assim também com a Grace VanderWaal, que tem tipo, uma 14 anos.  Eu estava no Billboard Women in Music Awards ano passado com todas essas mulheres incríveis, ela estava radiante. Ela tinha esse conhecimento e sabedoria sobre si mesma que eu queria ter sobre mim. Ah, e eu realmente amo Amal Clooney. Eu sei que parece esquisito, mas eu ouvi muito sobre ela. Ela é simplesmente incrível, a forma que ela fala e pelo quê ela luta. Eu acho que gosto de um pouco de todas.

KL: Se você pudesse trocar de lugar com qualquer atriz do passado, com quem trocaria?

SG: Audrey Hepburn ou Molly Ringwald nos anos 80. Imagina como deve ter sido maravilhoso? Ela era ruiva e tinha sardas e era tão incrivelmente descolada. Ainda quero me vestir como ela em Pretty in Pink.

KL: Você acha que 2018 vai ser um ano melhor do que o que acabou?

SG: Eu vou dizer que sim porque eu acredito nisso pra mim mesma. E qualquer um que me conhece sabe que eu sempre vou começar cuidando da minha saúde e bem estar. Eu tive milhares de problemas com depressão e ansiedade, e eu fui muito aberta sobre isso, mas não é algo que eu acredito que vou superar algum dia. Não vai existir um dia em que eu vou dizer “Estou aqui nesse vestido lindo – eu venci!” eu acho que é uma batalha que vou ter que enfrentar pelo resto da minha vida, e não tenho problemas com isso porque sei que estarei escolhendo a mim mesma acima de qualquer outra coisa. Estou começando o ano com esse pensamento. Eu quero ter certeza de que estou saudável. Se minha saúde estiver bem, todo o resto vai se encaixar. Eu realmente não traço metas porque eu não quer me sentir frustrada se não conseguir alcançá-las, mas eu realmente quero trabalhar na minha música também. Meu próximo álbum está sendo produzido há uma eternidade. Quando me perguntam o motivo, eu sou sincera: É porque eu não estava pronta. Indo direto ao ponto, eu não me sinto confiante o suficiente sobre o lugar onde minha música está ainda. Se precisar de 10 anos, então levará 10 anos. Eu não me importo. No momento eu só quero ter um propósito em tudo o que fizer.

Revista

Photoshoot

Fonte:  Harper’s Bazaar | Tradução: Selena Gomez Brasil.

Nome: Selena Gomez Brasil (SGBR)
Desde: 21 de Setembro de 2008
Webmiss: Érika Barros
Co-webmaster: Samuel Rodrigues
Design & programação: Dieux Design & Luana Machado
Entre em contato com nosso site