Postagem por:
Andressa Schmidt
28 ago.2021

A revista Variety conversou com os atores, dentre eles Selena Gomez, e produtores da série “Only Murders in the Buiding” que estreia no dia 31 de agosto. Leia a matéria na íntegra traduzida:

“Estou velha!”, lamenta Selena Gomez, entre risadas. “Vou fazer 29 anos amanhã!” Gomez está passando o dia antes de seu aniversário na companhia dos colegas de elenco Steve Martin e Martin Short pelo Zoom. Antes de iniciar uma conversa sobre a comédia entre gerações “Only Murders in the Building”, ela está estabelecendo o quão grande a diferença de idade entre eles é. “Você lembra quando você tinha 29, Steve?”, Short pergunta.

“Outra vida”, Martin reflete em um tom que sugere um ritmo familiar que acabou de surgir.

“Pensando se o Jerrys iria ganhar a guerra”, Short continua, citando o apelido usado por alemães em ambas as guerras mundiais.

É um momento de leviandade para as três estrelas que podem estar separadas por décadas, mas compartilham a prontidão para riffs (termo usado na música). Gomez, que tem atuado desde a infância, se autodenomina uma “esponja” ao redor de seus colegas de elenco, que têm trabalhado desde os anos 1970. “Vou apenas fazendo perguntas aleatórias. Significa muito para mim e me permite querer ser tão boa quanto eles”, ela diz.

Mesmo em ligação por Zoom de diferentes locais, as três estrelas tem uma química aguçada e exuberante, e a plataforma operada pela Disney, Hulu está se inclinando para manter o relacionamento improvável. Na série “Only Murders in the Building”, que lança em 31 de agosto e é o primeiro produzido pelo mega-produtor de “This Is Us” Dan Fogelman sob seu contrato com a Disney 20th Television, os atores interpretam um trio de mesquinhos nova-iorquinos que investigam um crime ocorrido em seu condomínio. Existem muitas reviravoltas narrativas – mas o que os expectadores veem primeiro são duas gerações de atores. Martin, em seu primeiro papel regular em uma série, interpreta um ator lendário em sua mente, enquanto Short, uma presença familiar em série recente que inclue “The Morning Show” e a série de esquetes “Maya & Marty”, assume o papel de um diretor teatral em que carreira estagnou após um fracasso. Ambas estrelas, que colaboraram em projetos como “Father of the Bride” (Pai da Noiva) e fazem uma turnê de comédia ao vivo que ainda está em andamento, continuam adeptos a esvaziar as pretensões de seus personagens. E Gomez, que cresceu com seu público desde a série “Wizards of Wavely Place” (Feiticeiros de Wavely Place) do Disney Channel, está dando um grande passo, se tornando uma mega estrela a altura de um personagem que esconde sua vulnerabilidade e sua história pessoal desafiadora, por trás de um exterior difícil e desconhecido.

A combinação fornece algumas maneiras de potenciais espectadores. “Certamente, o show é uma grande oportunidade, dada a amplitude de talento”, disse Craig Erwich, chefe de originais da Hulu. “Você tem os ícones da comédia Steve Martin e Martin Short, e então você realmente tem uma das maiores personalidades nas redes sociais, Selena Gomez. O público para isso é muito amplo.”

Programas como “Only Murders” representam uma aposta no futuro para a Hulu, plataforma controlada pela Disney, streamer com uma identidade em evolução devido a mudanças de propriedade no passado. Mais adulterado do que o irmão corporativo Disney Plus – o programa de assinatura da Hulu pode, para muitos espectadores, ainda ser apenas a casa do vencedor do Emmy “The Handmaid’s Tale” – teve sucesso com a série original, mas logo poderá perder conteúdo licenciado de redes fora de sua família corporativa para seus próprios serviços proprietários.

Erwich afirma ser imperturbável. “Haverá mudanças no futuro”, diz ele. “Mas acho que estamos realmente bem posicionados para navegar por ele. Temos uma enorme máquina de conteúdo que nos ajudará não apenas a enfrentar a tempestade, mas continuará a ser líderes do setor que atendem aos nossos telespectadores.”

“Only Murders” propositalmente não tem o brilho de outras ofertas da Hulu, como a reunião de David E. Kelley e Nicole Kidman em “Nine Perfect Strangers”, uma parceria de alta potência. “Não tenho dúvidas de que este será um programa de quatro quadrantes”, disse o chefe da 20th Television, Karey Burke. “Eu acredito que a marca Hulu é muito sofisticada, elegante, de alta qualidade e ampla, e isso verifica todas as caixas.” O prazer do show vem do delicado agulhamento das fraquezas de suas figuras centrais e de seu progresso metódico em seu mistério e em suas vidas. “Eu fiz o show para pessoas da idade de minha irmã mais nova a idade dos meus avós, e eles riem quando precisam rir. Eles ficam chateados e confusos quando precisam estar ”, diz Gomez. “É algo que te deixa intrigado, mas não pesado e abatido e triste ou estressado.”

A série atende artistas da velha e da nova escola, combinando um tom temperamental de Manhattan com preocupações de vanguarda. Os três protagonistas, todos viciados em crimes verdadeiros, acabam colaborando em um podcast – também chamado de “Only Murders in the Building” – para focar exclusivamente em crimes que aconteceram onde eles moram. Eles se movem em círculos concêntricos ao redor da caixa, ficando mais próximos no processo.

“Acho que é muito difícil desenvolver um vínculo em um programa sem ser entediante”, diz Martin. “Isso é o que o show conseguiu fazer; enquanto uma história está se desenrolando, e os relacionamentos são meio que incidentais, eles começam a crescer.” Ele faz uma pausa. “Deixe-me fazer uma pergunta rápida”, diz ele ao repórter. “Então você viu oito episódios. Você tem alguma ideia de quem fez isso?”

Para um programa com um cadáver no centro, “Only Murders” se encaixa surpreendentemente bem em um cenário de TV recentemente definido por sucessos de natureza doce como “Schitt’s Creek” e “Ted Lasso”, séries que abraçam a vulnerabilidade e a sensibilidade. Fogelman, após seu sucesso com “This Is Us”, diz: “É um pouco mais silencioso do que você poderia esperar. Os personagens de Steve e Martin são um pouco mais comoventes do que você imagina. Essa foi a minha atração para a série de televisão, pessoalmente – esses personagens encontrando conexão nessas vidas relativamente solitárias.”

Os novos laços ajudam cada um a sair de rotinas cansativas e de seu amor-próprio. “Todos nós temos sido trancados em nossos pequenos espaços de trabalho, abrigados com nosso próprio grupo principal de pessoas”, diz Fogelman. “E tem havido uma falta de conexão maior – mesmo antes da pandemia.” Aqui, o pior tipo de crime acaba quebrando padrões familiares.

O show foi criado e recebeu sinal verde antes da pandemia; durante um almoço com Fogelman e seu parceiro de produção Jess Rosenthal, Martin compartilhou a ideia, que ele vinha discutindo há cinco anos. Martin escreveu filmes, peças e romances; A TV é algo novo. “Nós tivemos que decidir, isso é um triplo? É um assassinato a cada episódio? ” Martin diz. “Dan Fogelman e seu grupo perceberam isso; disseram que gostaram de 10 partes, um assassinato por temporada. Eu os deixei lidar com isso, porque eu realmente não sabia.”

“Há muito que estávamos atrás de uma reunião geral com Steve. Você meio que odeia essas coisas porque, a menos que tenha razão, pode ser uma forma decepcionante de conhecer um de seus ídolos”, disse Fogelman sobre o fatídico encontro para o almoço. A ideia de Martin forneceu o ponto. “Logo naquele almoço, começamos a conversar sobre isso. Começamos a moldá-lo”, diz Fogelman. “Começamos a tentar convencer Steve a agir nisso, o que ele não estava pensando quando nos contou a ideia.”

Eventualmente, Fogelman trouxe John Hoffman como co-criador. Hoffman, um veterano da TV (“Looking” e “Grace and Frankie”), trouxe consigo uma experiência pessoal. “Eu mesmo estava lutando contra um mistério, em torno do assassinato de um amigo”, diz ele. O melhor amigo de infância de Hoffman, com quem ele tinha perdido contato, foi encontrado morto a tiros em sua casa. “Eu não conseguia entender isso. E isso me levou a tentar aprender o que era a vida dele – e tudo o que eu perdi.” Há nuances dessa história no personagem de Gomez, que tem uma conexão misteriosa com os que partiram. Embora resolver um mistério possa ser recompensador, a série tem uma noção clara das causas do assassinato de ruptura.

Tudo isso pode fazer com que “Only Murders” pareça uma venda ambiciosa, mesmo com Martin vinculado. “Foi um salto real”, diz Hoffman, mas “não havia nada além desse apoio galvanizador para os saltos que queríamos dar com o show – de todos”.

Esse apoio estendeu-se aos segmentos corporativos mais elevados da Disney. Dana Walden, presidente de entretenimento da Walt Disney Television, aprovou prontamente o projeto quando Fogelman o apresentou.

“Como Steve já estava envolvido, foi uma ligação direta para Dana Walden”, lembra Fogelman. “Nós dois concordamos que seria certo para a Hulu. Foi muito fácil a partir daí. O estúdio confiou muito em nós para produzir o programa e trazer de volta algo em que acreditamos. ”

Hulu vai ser o primeiro lugar onde o show lançar. “É nosso objetivo entregar o máximo que pudermos para o time da casa”, diz Burke, “e este pareceu um ajuste perfeito”. Mas “Only Murders in the Building” representa uma oferta de comédia excepcionalmente espalhafatosa para a Hulu. “Dia após dia, perguntamo-nos: somos a melhor casa para o talento?”, diz Erwich, que também supervisiona a programação da ABC. “Essa é uma conversa crítica constante que temos. A Disney tem Dan Fogelman, um dos mais renomados produtores executivos e criadores de televisão atualmente, e como a Disney tem acesso ao talento, o talento lhe dá talento”.

“The Handmaid’s Tale”, que ganhou 21 prêmios Emmy este ano, chegou à Hulu vindo da MGM Studios, mas a plataforma agora está focado na produção de seus próprios programas. Hoje, “a propriedade da programação é crítica para nossa estratégia”, diz Erwich. “Continuaremos a olhar para oportunidades de produções externas, mas há um banco de talentos dentro da corporação Disney ao qual temos acesso e que podemos utilizar.” Hulu, por exemplo, é onde grande parte da programação da FX vai ao ar pela primeira vez (sob o banner FX na Hulu); ele também apresenta, entre seu conteúdo de segunda execução, a programação no dia seguinte da ABC.

Erwich enfatiza que a Hulu não está jogando um jogo de volume. “Nós apenas programamos coisas em que acreditamos”, diz ele, “e em que sabemos que podemos fazer vendas fortes no lado do marketing e da distribuição”. Mas ele enfatiza a amplitude da Hulu: “Eu acho que você ficaria surpreso, ou não foi dada a devida consideração, como os gostos das pessoas são diversos. As pessoas costumam assistir TV ou recorrer ao Hulu não com base em dados demográficos, mas, francamente, com base em um humor.” Ele cita um espectador hipotético que quer assistir a Gilead de “The Handmaid’s Tale” e as Calabasas das Kardashians: Kim e sua família, depois de encerrar sua corrida no E! Da Comcast, devem produzir conteúdo que será transmitido para os Estados Unidos na Hulu. Surpreso que as Kardashians e as D’Amelios – duas irmãs do TikTok que são famosas na rede social, tiveram sua série, “The D’Amelio Show”, que estreia em 3 de setembro – elas estão em uma subsidiária da Disney? Você não deveria estar, diz Erwich: “Quem são os melhores? Dan Fogelman é o melhor no que faz; as Kardashians são os melhores no que fazem; Charli D’Amelio é a melhor no que faz. ”

“Only Murders” foi produzido no último inverno e primavera na cidade de Nova York em meio a preocupações com a segurança devido à pandemia. “Estar na cidade era muito importante”, diz Gomez: “mesmo sendo uma cidade fantasma”. Fogelman, que permaneceu em Los Angeles enquanto trabalhava em “This Is Us”, diz: “Estávamos testando centenas de pessoas todos os dias. Tivemos vários sustos. Era muito para lidar, mas eles fizeram isso de maneira realmente maravilhosa, dentro do prazo e do orçamento.”

A produção foi filmada sob protocolos rígidos – tanto que se comunicar com o elenco às vezes era desafiador, diz Hoffman: “Muitas vezes eu tenho que dar uma nota e perceber: ‘Oh, espere, estou esquecendo que estou vestindo uma máscara e um capacete. Eu pareço um stormtrooper.’” (Martin, a pedido de Short, dá a impressão de um diretor dando notas que envolvem uma fala abafada e distorcida que soa um pouco como a do professor de Charlie Brown).

“A adversidade pode criar camaradagem”, diz Martin. “A única coisa que sinto falta é que quando você está ensaiando, você geralmente ouve essas risadas da equipe. Então, parecia que estávamos numa espécie de vácuo.” O resto do trabalho era factível, embora trabalhoso. “Éramos testados três vezes por semana”, diz Martin. “Todos nós éramos responsáveis. Algumas pessoas da equipe adoeceram, mas não transmitiram aos demais. Eles foram rastreados por contato; e foram isolados por duas semanas.” O aumento na intensidade necessariamente significou um aumento no investimento da Hulu, incluindo o que Hoffman diz ser mais tempo para filmar o piloto. Erwich: “O mantra tem sido e continuará a ser a segurança em primeiro lugar de uma forma inflexível.”

Hoffman liderou as filmagens em Nova York. “Era uma caminhada na corda bamba todos os dias”, diz ele. “No geral, para o país, enquanto estávamos filmando, ainda estávamos no meio do medo. A parte que é tão comovente para mim sobre o fato de que temos tudo é que tínhamos duas lendas em seus 70 anos e uma jovem que tinha problemas de saúde bem conhecidos.” (Gomez, que tem lúpus, recebeu um transplante de rim em 2017). “Todos eles parecem heróis para mim porque eles estavam prontos para jogar e terminar, aconteça o que tiver que acontecer. Se eu pensasse muito nisso, entraria em colapso. Eu me prepararia todas as manhãs.”

Por tudo isso, porém, o elenco manteve o clima leve. “Nós três gostamos de trabalhar de maneira semelhante”, diz Short. “Por mais solto que seja o set, quantas risadas entre as tomadas, é igual a um show melhor. Alguns atores acreditam que você tem que criar a Terceira Guerra Mundial – nós não. ”

A porta está aberta para mais “assassinatos”. “Em última análise, cabe à equipe de criação liderar o caminho para as temporadas subsequentes”, diz Erwich. “A franquia é muito alta.” O elenco está otimista de que encontrarão outra história: “Enquanto houver assassinato, teremos outra história para contar”, diz Martin. O humor geral dos atores – falando enquanto a variante delta começa a se espalhar pelos Estados Unidos – é cauteloso, mas voltado para o futuro. Fora do mundo de “Murders”, Martin e Short estavam na metade de uma turnê no Reino Unido quando a COVID apareceu. Eles têm datas nos EUA no calendário, mas estão acompanhando as notícias de perto.

Para Gomez, “Only Murders” significou uma maneira de romper com o isolamento doméstico; a estrela passou o início da era COVID filmando uma série de culinária caseira para a HBO Max – uma que enfatiza sua inexperiência na cozinha – antes de ir para Nova York. “Gosto de cozinhar e de fazer as pessoas se sentirem bem”, diz ela. “Mas depois de fazer uma temporada disso, eu estava ansiosa para fazer algo que seria interessante para mim. Eu não iria correr o risco de algo que não achava que valia a pena.” O programa “Selena + Chef” de Gomez extraiu energia do caos da produção remota. “Obviamente, sou uma desastrada e as pessoas gostam disso”, diz ela.

Há uma confusão em muitas produções da era COVID – como Martin, um apresentador de três prêmios da Academia, notou na equipe do Oscar deste ano, que terminou com a apresentação memoravelmente estranha de um troféu para Anthony Hopkins à revelia. “Gostei muito da última transmissão e achei meio estranho”, diz ele. “Achei que eles fizeram um ótimo trabalho. Eu ouvia críticas de uma gafe e dizia: ‘Bem, é claro que há uma gafe, fazer dessa forma.’ Mas então, por outro lado, eu não assisti ao Globo de Ouro – nem sei o que eu assisti. ”

Muitos se misturaram durante meses de isolamento. Mas essas três estrelas entendem o poder da colaboração. “A realidade é que, se houver uma maçã podre ou um ator mal-humorado, digamos que se chame Steve”, diz Short, “isso muda toda a dinâmica. A única coisa que você pode proteger quando faz um show como esse é a diversão de fazê-lo. Você não pode estar no controle. ”

Gomez, que carrega algumas das batidas emocionais mais pesadas da história, tem a mesma atitude de desapego. “Fui exposta a pessoas me criticando quando criança, e isso foi honestamente injusto. Quanto mais velha eu ficava, mais percebia que, se fizer algo que realmente amo, espero que as pessoas que assistam gostem.”

Mas ela ainda está tentando fazer o show chegar ao maior número possível de espectadores. Um dia, quando o elenco foi convidado a gravar um vídeo para as redes sociais, Gomez disse que fez os atores abandonarem o roteiro do vídeo planejado para parecerem mais casuais. “Acabei de fazer um vídeo de selfie onde todos nós estávamos sendo nós mesmos. Esses foram meus dois centavos que eu poderia investir”, diz a jovem com cerca de 248 milhões de seguidores no Instagram.

Há lições sobre o sucesso de Gomez no Instagram para seus colegas de elenco – lições que não têm nada a ver com mídia social. “Você observou que quando algo parece planejado”, disse Martin a Gomez, “não recebe tanta atenção quanto algo que parece espontâneo e criado na hora”. Este lema se aplica a séries de streaming também; por todo o trabalho que envolveu a criação do show durante a pandemia, as notas menores de emoção que “Only Murders in the Building” atinge parecem em escala humana.

É uma reminiscência, talvez, da comédia clássica de Martin, o tipo que transformou Fogelman em um fã. “Fiz alguns filmes – um filme tranquilo e emocionante como ‘Pai da Noiva’”, diz Martin. “Mas isso foi empurrado para fora por filmes de super-heróis. É um belo momento para mim agora, encontrar um lugar para o tipo de filme que fazemos, de uma forma diferente”.

“A televisão – e eu nunca pensei que isso aconteceria – se tornou um lugar maravilhoso para contar histórias mais gentis.”

Tradução e adaptação: Selena Gomez Brasil

Comments

comments

Siga o Twitter do site para receber
novidades sobre Selena em tempo real
Na nossa página do Facebook, você também
não perde novidades sobre Selena. Curta!
Web status
Criação e desenvolvimento por LIVZZLE e Lannie.D
© 2020 - Selena Gomez Brasil